RECORDANDO UM REI IMORTAL…

Eu vou lhes contar uma história.

Eu vi o melhor centroavante do Brasil (ou do mundo) jogar. Os mais novos, que não o assistiram, podem pensar que eu estou exagerando.

E que eu, por ser atleticano, estou puxando a sardinha pra nossa bandeira.

Pois eu lhes digo que muitos adversários comungam da mesma visão que eu.

Reinaldo não jogava. Ele brincava em campo. O Rei desafiava as leis da física e do equilíbrio com seus dribles quase impossíveis e as suas jogadas inimagináveis para os pobres mortais.

A bola era a sua namorada, amante e companheira. Nos pés do Rei, ela se se tornava meiga, obediente e excitada.

Porque a troca de carinho e amor verdadeiros leva ao melhor que existe nos relacionamentos: a cumplicidade.

A bola e o Rei eram cúmplices gerados da intimidade mais absoluta que pode existir no mundo.

O maior artilheiro da história do Galo pensava um segundo mais rápido que seus companheiros. E dois segundos mais ligeiro que seus adversários.

Lembro-me de um gol que eu vi, quando o Rei, ao ver que Cerezzo passava correndo para receber na frente e com isso levando os zagueiros para marcá-lo, ele não devolveu a bola.

De fora da área, ele jogou por cima do goleiro do América-RN. Como se fosse com a mão. Como se fosse a coisa mais corriqueira do mundo. Assim como fazia, criança ainda, nas peladas em Ponte Nova, onde nasceu.

Não poderia descrever muitos gols do Rei, porque o espaço não seria suficiente, como insuficiente seria a memória deste blogueiro.

O baby-craque, como era chamado, destruia defesas com apenas um sopro de sua genialidade. Um gênio que, depois de 30 anos, ainda não foi superado por nenhum outro jogador do Atlético em número de gols.

Nós, atleticanos desde o útero, não íamos ao campo para ver futebol. Nós íamos para ver a magia contagiante do Rei.

Nós não seguíamos para o Mineirão para TORCER pela vitória incerta. Nós íamos para VIBRAR com a vitória iminente.

Reinaldo fez do futebol uma arte assinada em letras de gênio. Ou de dor.

A cada oponente driblado e humilhado, uma pancada no joelho. A cada gol espetacular marcado, outra pancada no joelho.

A massa atleticana, impotente e em silêncio respeitoso, assistia, como súditos fiéis, a mais uma cirurgia. E mais uma. E mais uma.

Os nossos corações gelavam. O tempo parava.

Porém,  toda vez que voltava, tornava a extasiar a massa, como se nada tivesse acontecido. “Parecia” que não, mas acontecia. Nenhum corpo humano é capaz de receber tantas agressões sem definhar.

Sem meniscos, a cada dia com menos liberdade de movimentos, o Rei foi, jovem ainda,  obrigado a assinar os papéis da abdicação.

Mas nós, seus súditos, nunca abdicamos dele. Nunca renunciamos e nem renunciaremos ao jogador que nos foi mais caro.

Reinaldo sempre será o Rei eterno do Galo. Ouso dizer que nunca mais teremos outro tão grandioso. A mística da camisa atleticana sempre passará pela trajetória fantástica do nosso mais querido artilheiro.

As arquibancadas alvinegras jamais deixarão de ecoar aos quatro ventos:

REI, REI, REI, REINALDO É NOSSO REI!

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE NO GALO À DIREITA DA PÁGINA.

Anúncios

31 comentários sobre “RECORDANDO UM REI IMORTAL…

  1. alguem lembra do gol dele contra o America-RN?? segundo o propio o gol mais bonito de sua carreira.

    1. E como lembro. Foi num sabado a noite no mineirão, havia pouca bilheteria aberta e a massa
      compareceu o que provocou um tumulto na entrada. Que saudade da época em que o galo tinha um grande talento Reinaldo(que jogava com alegria) e muitos outros. Acho que jogador igual ao Reinaldo não vai surgir jamais.

  2. Vi Reinaldo jogar algumas vezes. Na época morava com meus pais em São Paulo. Acompanhava, pelos jornais, pelas ondas curtas a Itatiaia, Inconfidência, Guarani todos os jogos do GALO do Rei. Vez em quando ia com meu pai a BH, só para ver o Rei. Quando o jogo era em SP, Campinas, Santos, não perdíamos de jeito nenhum. Como éramos felizes, era um timaço. O Brasil era apaixonado pelo futebol do GALO.
    Mas os zagueiros, as cirurgias, o futebol foi ingrato com o maior jogador que já vi jogar na vida.

    De todos os jogos que vi do Rei, o que mais me marcou foi um pela Seleção Brasileira. No Morumbi, poucos conheciam Reinaldo. Jogo contra a Polônia. Toninho Cerezzo lança a bola na área do meio campo. Reinaldo mata a bola no peito, aplica um chapéu no beque polaco, e na saída do goleiro estufa as redes. O Morumbi inteiro se rende a magia do Rei. Foi fantástico, maravilhoso, inesquecível. E eu criança, senti uma alegria tão grande, um orgulho que não podia me conter: É o Reinaldo, o Rei, é do Galo, é do “meu” GALO!

    Nunca consegui “achar” esse gol no Youtube, nas resenhas, DVD’s, etc… Se alguém souber onde posso encontrá-lo, por favor me avise. Será que sonhei? Não eu estava lá, no Morumbi, é verdade…

  3. Sou atleticano graças a Reinaldo,ainda me arrepio vendo seus gols pelo youtube.Reinaldo representa a essência do Galo.Tive uma única oportunidade de vê-lo ao vivo já na fase terminal da carreira, tinha 12 anos e lembro de ser consolado por um tio devido a emoção de ter o ídolo tão perto.

  4. Ir ao Mineirão naquela época era certeza de que se os adversários dessem bobeira, o Rei guardaria o dele ou daria um de seus dibles geniais. Para a Massa, o Rei Reinaldo era sinônimo de alegria. Bons tempos aqueles, uma pena que as transmissões da TV não eram assim tão comuns, e tão boas, e não se tinha a preocupação de se guardar tais memórias em vídeo como hoje em dia.

    Sim, tive a felicidade de poder ver “in loco” muitos jogos do Galo e do Rei.

    Vida longa ao Rei!

    Saudações Atleticanas,

  5. olha , vi o reinaldo jogar aqui na minha cidade com 17 anos, com cerezo acho danival, paulo isidoro. quando morava em b.h. vi dario, vaguimho, ronaldo, lola.grapete vantuir.
    achei, que iria, se tornar um craque, eu garoto aqui, no interior vendo reinaldo pertinho no acanhado estadio. depois so voltei a ve-lo na decada de 80 no mineirao.
    lembro na estreia dele na seleçao, pegou uma bola e entortou um zagueiro estrangeiro, nao me lembro a seleçao que era. pra la e pra ca dentro da area varias vezes.
    e chutou quase marcando.
    logo depois teve um amistoso da seleçao , acho com claudio coutinho como tecnico, uma seleçao europeia, ele deu um chapeu no zagueiro com o pe esquerdo e completou com o direito num lindo gol. talvez tenha sido um dos melhores centro avantes do mundo.
    da sua geraçao foi sim , sem duvida nehuma.
    o gol do reinaldo que esta na minha memoria, e lindo, foi o primeiro , contra o flamengo, na decisao de 80 no mineirao. foi lindo e de fora da area.
    ali foi que perdemos o titulo. pois se tivessemos feito uma placar maior iriamos para o maracana em vantagem. e tinhamos um timaço.
    abraços a todos. da qui a 100 anos vai nascer um renaldo um pele ou um garrincha.
    igual ao rei nunca mais acho que verei nem perto.

  6. É verdade que o reinaldo já quis jogar no flamengo?vi um video do globo esporte em que ele deixava a entender que sim,porque isso tinha acontecido na época?ele parecia revoltado.

  7. Roberto, assim, você nos emociona. Quase me fez chorar. Sinto-me orgulhosa de você ser blogueiro do Galo. Se você fosse torcedor do outro time, não teríamos essas delícias para ler. Você já foi homenageado com o Galo de Prata?

    “Ouso dizer que nunca mais teremos outro tão grandioso.” Roberto, esta sua afirmativa me dói a alma. Sempre imagino um novo Reinaldo treinando nas categorias de base do Galo, e a qualquer momento surgindo no time profissional. Pode ser utopia, mas continuo achando que um dia vai acontecer.

    Sobre o refrão “Rei, rei, rei,…”, lembro-me da primeira vez que fôra cantado dos lados de fora do Mineirão. Foi quando o Papa veio à BH – Rei, rei, rei, o Papa é o nosso rei. O Papa ficou muito emocionado, quase chorou. Depois desse dia, o Brasil inteiro repetiu este canto onde o Papa passava e todas as vezes que veio ao Brasil. – O Reinaldo é mesmo um cara iluminado.

    Minha maior lembrança foi o gol que fez “mancando” no Flamengo, no Maraca. Acho que na história não existiu um jogador driblar e chutar, praticamente com uma perna só.

  8. Simplesmente o maior de todos!

    Não tive o prazer de o ve-lo jogar, mais com certeza foi maior jogador da historia do GALO!

    REI REI REI REINALDO É NOSSO REI!!!

  9. Gente, sem querer tirar a “audiência” deste blog, mesmo porque isso é impossível pela competência do autor. Mas, o impurrasbicha está de mais.

  10. Roberto, eu morria de raiva do Morais e Pedro Paulo, que só entrava para quebrar o Reinaldo, mas ví muitas partidas, dêle, gostava de ver as tabelas dêle com o Falecido Lacir, Paulo Isidoro, é como escutei não sei de quem, e que êste me deslcupe, mas o Reinaldo era artilheiro sem ser centro avante, era igual ao Pelé, Zico, e o próprio Tostão não eram camisa 9 mas era quem resolvia.

    Roberto, encontrei no Super Mercado com o Ubaldo Miquica, mora aquí perto da Igreja São Francisco no Carlos Prates, ele tem o mesmo pensamento meu, sôbre o Marcelo Nicácio, e ainda falou, êle me lembra um miquicagol na brincadeira hahaha, ele vai deslanchar lá no figueirense.
    E o pior é que vamos ter que contratar mais um atacante de área e aí, quem vai vir? vão pagar mais caro e não vai ter o mesmo aproveitamento que ele durante o ano, pode anotar aí.

    Estou tentando marcar com o Caixa, para passar lá nos coqueiros antes do jôgo, talvez, vai, e você vai nêste jôgo de domingo?

    1. O Morais é que quebrou de vez o Reinaldo. Por falar em Reinaldo, Guerra, ele leu esta homenagem. Me agradeceu por twitter e passou a ser meu seguidor. É uma honra muito grande para mim. Que bom que ele gostou do post. Abraços.

  11. Ontem,hoje e sempre !!!

    Rei…. Rei…. Rei….. Reinaldo é o nosso Rei !!!

    Parabéns Roberto pelo excelente texto e só faltou uns gols do maior centroavante do Mundo.

  12. Amigo Roberto ,mesmo não comentando seu blog é leitura diária.
    Reinaldo …. como sou feliz por te-lo visto jogar ,sua comemoração áquela época irreverente até temerária .Voce nos conduziu aos momentos emocionantes de felicidade
    e também de dor ,quando se refere as pancadas.Parabens Roberto,comungamos as lembranças
    as alegrias e GRaças á Deus o mesmo time,ou melhor o mesmo “amor “GALOOOOOOOOOOOOO
    Reinaldo ,essse foi,é e será nosso eterno REI.

  13. I recently came across your blog and have been reading along. I thought I would leave my first comment. I don’t know what to say except that I have enjoyed reading. Nice blog. I will keep visiting this blog very often.

    Susan

Os comentários estão desativados.