CHAPECOENSE 1 X 0 ATLÉTICO E PONTOS DE INTERROGAÇÃO.

Este foi o time que jogou ontem e que eu não vi pela TV e quase não ouvi pelo rádio.

Aranha; Coelho, Cáceres, Jairo Campos e Júnior (Leandro); Zé Luis, Fabiano, Evandro (Giovanni) e Renan Oliveira; Muriqui (Marques) e Obina.

A análise de hoje será mais baseada no resultado do que sobre as nuances da partida, pois a transmissão chegou a mim quase que só por sinais de fumaça, como faziam os Sioux e os Apaches.

Na estréia do novo uniforme, o Galo jogou mal, principalmente nos primeiros minutos, quando levamos um gol de Sagaz, lateral direito da Chapecoense.

O Galo costuma dormir no início das partidas. E ontem não foi diferente. Foi um cochilo de babar.

No segundo tempo, a Chapecoense cansou e o Galo dominou o jogo, embora sem grandes lances de gol. No finalzinho, Marques quase marcou.

O 1 a 0 não é preocupante no que tange à classificação para seguir em frente na Copa do Brasil. Este resultado pode perfeitamente ser revertido no Mineirão.

Mas, por outro lado, coloca uma pulga bem pesada na nossa orelha. Daquelas que faz você andar meio encurvado.

Pois todo mundo sabe que o Chapecoense está na penúltima colocação do campeonato catarinense (que não é lá essas coisas) e atravessando uma péssima fase.

Ora, se o Galo não consegue nem empatar com um time desse quilate, vai ganhar de quem fora de casa?

Do Santos? Do Palmeiras? Do Fluminense? Do Grêmio?

Será que Tardelli faz tanta falta assim à equipe? E se faz, não tem algo errado com o elenco, uma vez que a montagem de um grupo de qualidade é exatamente para suprir esse tipo de desfalque sem grandes traumas?

Perguntas, perguntas, perguntas.

É só o que passa na minha cabeça neste instante. Claro que existem fatores que mudam toda a história e fazem de cada jogo um jogo diferente. Dimensões do campo, condições do gramado, iluminação, motivação, fatores externos, etc. Mas que preocupa, preocupa.

Não estou duvidando da capacidade do nosso time. Ainda não cheguei nesse ponto e não quero ter motivos para isso. Mas também não tenho o hábito de fechar os olhos para as flagrantes falhas que este time em formação tem.

Repito: em formação. Mas a Copa do Brasil não concede um período extra de preparação para os times que estão sendo armados. Ninguém vai ligar para o Kalil e dizer: “Olha, presidente, como o Atlético está ainda montando a equipe, nós vamos conceder para vocês mais dois meses sem jogos, está bem assim?”

Isso é surrealismo puro e, além do mais, não tem datas disponíveis. Na hora em que o torneio afunilar e os grandes começarem a pintar à nossa frente, vamos ter de produzir muito mais do que estamos produzindo hoje. Porque será o momento da onça beber água e a cobra fumar o cachimbo!

Nesse instante, o apoio da torcida será fundamental para obtenção de bons resultados, pois não sei se este time, sozinho, terá condições de se superar.

Não é pessimismo e não é descrédito. Todos sabemos que ainda faltam algumas peças para nos tornarmos fortes e seguros. Pois ainda não o somos com o que temos. E Luxemburgo não faz milagres.

Mas a Copa do Brasil não espera. Ela segue com a sua programação intacta e obrigatoriamente terá de ser cumprida no primeiro semestre.

E aí? Onde ficamos nessa? Teremos tempo de recuperação para enfrentarmos os grandes?

O que você, leitor e amigo do L&N, acha a respeito?

SIGAM ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER CLICANDO NO GALO À DIREITA DA PÁGINA.

Anúncios

32 comentários sobre “CHAPECOENSE 1 X 0 ATLÉTICO E PONTOS DE INTERROGAÇÃO.

  1. Escrevi um texto agora de mahã denominado “Os Vermes das Cornetas”, mas não vou publicá-lo agora. Vou deixar pra publicar na semana que vem, quando o Galo golear o Chapecoense no Mineirão…

    “Ora, se o Galo não consegue nem empatar com um time desse quilate, vai ganhar de quem fora de casa? Do Santos? Do Palmeiras? Do Fluminense? Do Grêmio?”

    Já ouviu a frase: Cada jogo é um jogo? Ano passado ganhamos do São Paulo no Morumbi e empatamos com o Botafogo dentro de casa. O Santos suou pra ganhar do Naviraiense em MS. O Botafogo perdeu pro São Raimundo-PA. Isso é coisa de criança, falar que se ganhamos de 3 x 0 do time X e ele vence o time Y por 6 x 0, qdo jogarmos com o time Y obrigatoriamente vamos ganhar de 9 x 0.

    Encaro a derrota de ontem como absolutamente normal de um time (q como vc mesmo frisou) está em formação. E darei um tapinha de luva bem dado nos protozoários digitais que infestaram a comunidade do Galo de “Fora Kalil” e “Fora Luxemburgo” ontem…

    Quanto aos jogadores, nunca vai estar bom. Júnior sábado era gênio, agora não presta. Marques era ídolo, agora é aposentado. Obina era o terror, agora é ardido. Ricardinho era morto em campo, ontem fez falta… nunca vai estar bom! Pode contratar o Messi, que ele será pipoqueiro e medroso…

    Não é assim que futebol funciona

    1. Uai, Alexandre, meu amigo, ou não entendi a sua crítica ou interpretei mal a sua mensagem. Não sei onde vc leu no texto alguma crítica ao Luxemburgo ou ao Kalil que o tenha feito entender q o L&N os está cornetando.

      Os comentários do texto foram pontuais, ou seja, sobre o resultado do jogo, sobre as falhas de um time em formação e a preocupação q isso gera para o futuro. Isso é cornetagem ou uma análise sincera e construtiva? Porque muitas vezes a acusação de “cornetagem” busca engessar opiniões contrárias. Tem uma linha bem tênue nessa área, que a pessoa tem de saber separá-la bem. Exemplo: Eu penso X e se a pessoa pensa Y, está cornetando. Ué, aí seria um tremendo posicionamento ditatorial, digno de Pinochet, não é verdade?

      E quanto a sua pergunta: “Já ouviu a frase: Cada jogo é um jogo?“, eu a destaco no texto da seguinte forma: “Claro que existem fatores que mudam toda a história e fazem de cada jogo um jogo diferente”. Vc não leu?

      Não sei, meu camarada, posso ter entendido seu texto de maneira errada. Talvez vc tenha se referido aos xiitas de plantão que já saem pra radicalização ao menor percalço. E não tenha se referido a este blog.

      Mas independente de opiniões contrárias, somos amigos do mesmo jeito. Abraços.

      1. Não Roberto, a crítica não foi direta a vc. Realmente foi direta sim aos xiitas, principalmente àqueles que infestaram a comunidade do Galo ontem a noite com mensagens desse tipo. Me desculpe se tenha parecido que foi pra vc…

        Qdo fiz o comentário aqui tinha acabado de concluir meu texto e acho que fui ainda no “calor” dele.

      2. Tô postando de novo pq minha internet é uma merda e acho q o comentário ñ foi publicado, hauhauhaua

        Roberto, a crítica realmente não foi pra vc! Desculpa se pareceu. Ela foi direcionada sim aos xiitas (que prefiro chamar de vermes) que se aproveitam de orkut e twitter pra acusações e críticas sem fundamento nenhum! Foi direcionada aos que infestaram a a Comunidade do Galo ontem a noite de “Fora kalil” e “Fora Luxemburgo”.

        Qdo comentei ali tinha acabado de fazer meu texto e acho que ainda estava na onda dele. Acompanho o blog e sei que essa não é a linha por aqui…

        Abraço

        Alexandre
        http://massativa.com/blog/

  2. Roberto,

    eu ouvi o jogo pela CBN BH. Embora seja de Brasília, os avanços tecnólógicos me permitem a esse luxo. Pelo o que ouvi, foi um festival de glos perdidos. Toda hora era Evandro jogando bola para fora (se vc sofre de renantite,eu sou de evandrotite). foi um Deuns nos acuda. É inaceítável uma drrota dessas. Esse jogo deve ser sido uma mandiga do pai do Kalil em protesto da camisa rosa.

    Quanto a Tardelli dependência, Craque é insubstituível. Nunca jogamos e nem jogaremos igual sem a presença dele. Ele é uma peça chave. Mesmo quando joga mal, ele chama a marcação. Infelizmente, hoje em dia, está muito escasso jogadores desse nível no futebol brasileiro.

    Abraço

    Rafael

  3. Amigo Roberto,
    Concordo plenamente com a sua análise. Também não posso fazer nenhuma análise mais detalhada do jogo porque estava trabalhando e não deu para ver ou ouvir o mesmo. Também estou preocupado, porém, como já disse em outro momento, acredito que os títulos virão mesmo o ano que vem. O que vier esse ano será lucro! Isso, contudo, não impede que eu sofra com essas situações. Acabei de ver os melhores momentos no superesportes e, acho que houve falha, me parece que do Júnior, no lance do gol; o que confirma sua análise anterior de que o mesmo, embora bem ofensivamente, deixa a desejar quando se trata de marcação.
    Achei também muito boas as considerações do Alexandre e concordo com quase tudo. Só penso que ele confundiu sua análise crítica do momento do galo com cornetagem. São coisas completamente distintas.
    Saudações a todos!

  4. Roberto,não estou defendendo o time,mas só quero lembrar que o Uberaba perdeu para o Fluminense ontem dominando o jogo.O Palmeiras ganhou do Paissandu no sufoco ( o Paissandu está na 3° divisão). O Vasco só conseguiu empatar com o ASA de Arapiraca. É como diz o Alexandre,os “Protozoários Digitais” estão a solta e nunca vi tanto pessimismo assim.Desde os 5 anos de idade eu fui ao Mineirão até os 40,pois agora moro no interior.Fui ao jogo contra o Tupi no Mineiro 2010 e aos 15 minutos de jogo uma parte da torcida já estava vaiando,me deu vontade de ir embora na hora.O Luxemburgo está no Galo há 10 partidas e estão querendo o que? No cruzeiro ele só começou a ganhar depois de quase um ano.Vou arriscar e casar uma aposta que o Galo vai mandar uns quatro a zero neste time de Chapecó.Do jeito que a torcida está nós vamos ficar mais uns dez anos sem ganhar nada.Haja impaciência e pessimismo lá na casa do C !!!!!!!!!Depois que o Galo for eliminado da CB e perder o mineiro aí sim poderemos questionar,enquanto isso o melhor a fazer é pensar positivo e aguardar pois ainda não disputamos nada e não perdemos nada. Falei!!!!

  5. Roberto, como sempre estou contigo e não abro. Não tem lógica empatar com um time desse! Quanto mais perder!!!!! Nao vi o jogo, mas também nao precisava ter visto pra dizer oq estou dizendo, a derrota foi desastrosa! Quanto a ‘facilidade’ de reverter esse jogo no mineirao, tenho minhas duvidas, o Chapecoens vai vir com 9 zagueiros e 1 volante (pra tentar fazer um gol de contra ataque) ou seja fechadinho, vai tentar correr pouco pra aguentar o jogo inteiro dentro da area, ai meu amigo, so deus sabe, pq contra retrancas o galo é muito irregular, as vezes fura, e tranquilza, as vezes demora a furar e vai perdendo a cabeça… medo mto medo!

  6. Também não assisti ao jogo, ouvi o 1º tempo pela Itatiaia, que coloca uma equipe presencial no estádio, e o 2º tempo pela CBN com uma equipe que fica aqui em BH e narra o jogo vendo pela TV.

    Acho que tanto você como o Alexandre tem razão, concordo com os dois. Porém, acho que o Alexandre interpretou mal sua análise.

    Com relação ao resultado, penso que o jogo não acabou, o 2º tempo é aqui. Mas, especialmente ontem, devido os últimos acontecimentos e pela estreia da camisa, queria uma vitória para evitar ainda mais as gozações. Para nossa sorte os banana-banana não venceram os Bafana-Bafanas.

    Eta Galo que me faz sofrer viu …

    GENTE, CADÊ MEU AMIGO GUERRA??

  7. Ontem eu esperava era isso mesmo, um jogo truncado onde o adversário iria morder até cansar. Através da transmissão da Itatiaia e da Rádio CBN ouvi os locutores narrando que os caras de Chapecó estavam descendo a butina e o juizinho nada… Mas perder, assim como td atleticano, não esperava. E foram mts gol perdidos.

    Irei apontar algumas coisas que o Luxemburgo deve ter percebido:
    > O Atlético está tomando mts gols de bolas alçadas na área. A falha é de quem tá marcando, que tá deixando o adversário cruzar, e da defesa (entende-se por Laterais, Zagueiros e Volantes) por deixarem finalizar ao gol do Aranha.

    >O Muriqui tem que treinar mais finalização. Como que perde um gol na marca do pênalti com o goleiro vendido na jogada? Sem contar outras finalizações que não vão a gol, só pra fora.

    >O Renan está produzindo mais a cada jogo. TODAS AS JOGADAS PASSAVAM EM SEU PÉ. Porém o complemento das jogadas junto com os companheiros (cruzamentos, tabelas, finalizações) não saíam.

    O Atlético, assim como você falou Roberto, está no caminho certo. Ainda acho que esse time vai dar liga, principalmente com a entrada dos titulares, depois de se recuperarem de lesões.

    Na minha opinião o Galo tem time pra ser campeão da Copa do Brasil e do Mineiro. O Luxa está finalizando o terceiro mês de trabalho, e agora não tem mais tempo pra treinar (jogos Domingos e Quartas) então agora é vermos esse time evoluindo durante os jogos, e eu creio que irá melhorar.

  8. Pelo o que eu ouvi do Caixa foi um festival de chutes a lá Carlos Alberto. Obina,Fabiano,Jairo Campos,Coelho. E o Marques que perdeu o gol de empate dentro da pequena area.
    O gol do time da casa pra mim foi até normal o anormal para mim é não fazer gol no time de Chapecó.
    Apesar do Caixa passar muita vibração de que o Galo está para marcar e ele solta o “Nossa Senhora” dele parece que o jogador está frente a frente com o gol mas as vezes não está,não é ?
    E torcedor é foda mesmo,já não gostei das novas camisas e estreia com derrota.

    Só sei que as vendas não vão ser dentro da normalidade do Galo.

    1. André quem mais errou foi o Muriqui, e não é só neste jogo não faz tempo que ele vem errando gols feitos.

      1. É mesmo Cassiano,esqueci do mencionar o Muriqui,mil vezes nãooooooo.

  9. Amigo Roberto,
    Concordo com sua análise, e repito as palavras de minha filha de 10 anos “Seja longa a jornada; seja dura a caminhada;… Galo no peito e na alma”…..
    Acho que ainda tem muita gente recisando de ler isto…..
    Grande abraço

  10. Confesso, não tenho mais paciência de ouvir jogo pelo radinho(internet). Vez em quando dava uma sapeada para ver o resultado. Perdemos pro xá-pecó? Vixi, quase que não dá para acreditar. Copa do Brasil é assim. Cochilou o cachimbo cai. Para ganhar tem que ter espírito copeiro, matador…
    Semaninha chata essa, não? Uniforme, xá-pecó… Eita…
    Bora GALÔ!

  11. Roberto e Galera,
    Vocês já passaram por isso: na TV dá a notícia do gol do Chapecoense… Nenhuna notícia mais… A Internet não quer entrar, então não consigo ter notícias… Na TV não ví mais nada… E só depois do jogo transmitido pela Globo aparece o resultdo 1X0. É terrível né!
    Não dá pra ficar só “rezando” e torcendo sem ver… Após o resultado consegui acessar o Terra e resgatei a transmissão. Mas só vi bola em poder do Chapecoense… Não entendi nada, pois nas notícias de hoje falaram que o Galo pressionou… onde???
    E aí você detona no seu texto quando questiona a nossa situação contra times mais competentes…
    É dose!
    E dá-lhe, Galo!

  12. Roberto e colegas de aflição,

    Há muitos anos que o futebol brasileiro está nivelado por baixo. Não existe time extraordinário, como também não existe time bobo. São onze contra onze, todos querendo vencer, todos pressionados por alguma razão.

    E há dois elementos a serem pesados no jogo de ontem. Do lado deles, por mais feio que seja o nome ou ruim a fase, havia uma torcida fanática, lotando o estádio, gritando a favor e só vaiando o adversário. (Quem é Atleticano das antigas sabe o quanto isso ganha jogo). Do nosso lado, jogamos sem TRÊS titulares, todos de alto nível, o que faz muita falta, até pra time chamado Barcelona ou Real Madri.

    Falta humildade ou sobra soberba aos torcedore que exigem do seu time uma goleada por jogo, quando o adversário não faz parte do Clube dos Treze. – É obrigação! – dizem. Fala sério, e vão rezar. Parem de assistir aos jogos e vão à missa, aprender sobre as bem-aventuranças ensinadas por Jesus Cristo.

    Como você disse, Roberto, é preciso separar a crítica da cornetagem. Crítica é o que você faz muito bem neste blogue, quando aponta as falhas que levaram à derrota, quando analisa a partida e a capacidade técnica de um jogador. Mas, hoje, discordo de você por, justamente, avaliar “pelo resultado”. Para mim, isso distorce tudo. “Perdemos não porque falhamos nisso ou naquilo, mas porque nosso time é uma bosta que não ganha nem de Chapecoense e não vai ganhar de mais ninguém”. E eu sei que você não pensa assim, pois pensa como eu, que o trabalho é processual e está em boas mãos. A crítica construtiva tem que ser dirigida: mais uma vez tomamos gol de bola alta; de novo, não aproveitamos nenhuma das mil bolas cruzadas na área; o Obina continua jogando fora da área; e etc, etc, etc…

    Todos temos direito à indignação por termos um time limitado, que não inspira confiança, com jogadores medíocres que cometem erros de amadores. O emputecimento é direito de Constituição; e gritar, e xingar, e vaiar são reações inerentes a quem não tem sangue de barata. No entanto, tais reações devem surgir da raiva por sermos incompetentes, nunca pela fragilidade do adversário. E externada na hora certa.

    Vencer, temos sempre, seja do Ibis ou do Flamengo. E o placar não interessa, a não ser que o saldo seja determinante. Portanto, quem acha que o Galo tem que meter 10 a 0 no jogo de volta nem vá ao campo ou queira ouvir, porque pode se decepcionar, caso façamos apenas 2 a 0, ou passemos nos pênaltis. Afinal, golear é mais importante que classificar. (Imagina o vexame, ganhar nos pênaltis dessa baba! Já chega a camisa rosa!).

    P.S.: Só lembrando que gol do adversário valerá dobrado.

    1. Nelson gostei disso “Falta humildade ou sobra soberba aos torcedore que exigem do seu time uma goleada por jogo, quando o adversário não faz parte do Clube dos Treze. – É obrigação! – dizem. Fala sério, e vão rezar. Parem de assistir aos jogos e vão à missa, aprender sobre as bem-aventuranças ensinadas por Jesus Cristo.”

      Falo por mim, assisto às missas e aos jogos do Galo. Quando o Galo estava na segundona, fiz uma novena juntamente com uma amiga de trabalho. Deus ouviu nossas preces. Oro para que Deus ilumine o Kalil e derrame graças na Cidade do Galo. Precisamos ter humildade e confiar mais naqueles que trabalham pelo bem do nosso Galo.

      Ai meu Deus!! Como amo esse Galo, viu!!

      1. Oi Stela,
        Faça outra novena, então, para o Galo engrenar. Não estou gostando do que tá acontecendo.
        O Kalil tá falando que o Galo está na mídia. Mas eu queria ver o Galo na mídia com conquistas dentro de campo, não na passarela da moda…
        E dá-lhe, Galo!

  13. Roberto, tb. vi ontem o BMG estampado na manga do Fla naquela cor de burro quando foge, que eu não consigo definir se é vermelho claro ou laranja …rs.. Antes, na coleção antiga, estava com a cor branca. Lembra de Botafogo 2 x Flamengo 1.

    O BMG está pagando 8 milhões ao Fla para a manga, 2 milhões a menos para estampar na frente das nossas camisas. E se o Flamengo ganhar a LA ganha mais uma graninha (2,5 acho). Será se o Galo recebe alguma coisa se ganhar a Copa do Brasil????

    Ricardo Guimarães, Ricardo Teixeira e Paulo Schetino, 3 atleticanos que deveriam ter vergonha de falar que são atleticanos. Não fazem nada de bom para o Galo, às vezes ainda nos prejudicam. Ajudar ao Flamengo e ao Cruzeiro é nos prejudicar, por exemplo …

    Ontro dia escrevi aqui que o W. Paulista está apalavrado com o Palmeiras, hj. a Itatiaia noticiou.
    Tb. perguntei se alguém sabe sobre o Gomes no Galo a partir de julho.

    GUERRA CADÊ VOCÊ COM SEUS FUROS DE REPORTAGENS???

  14. Querido Roberto,até quando ficaremos em formação?Se para voces que estão em BH não houve
    transmissão imagine aqui!!!Desculpe,mas acompanhei pelo TT sua defesa incansável ao nosso
    Presidente e o parabenizo,estão utilizando vocabulário chulo sem nexo,não gostei da cor,
    realmente foge á nossa tradição,mas não há mais o que fazer.Concordo em genero,número e grau que se o Presidente Kalil renunciar,quem assumirá???obrigado.abraços.imo/bh/bsb

  15. Olá Vicente Andrade, pode deixar que eu sempre para o nosso Galo. Rezo para que Deus derrame bençãos na Cidade do Galo e que ilumine o Kalil. Acredito no poder da oração, claro que com muito trabalho.

    Estou pensando aqui… com meus botões … veja se concorda comigo… O estoque de camisas rosa já acabou nas lojas. Pelo jeito é só abastecer as lojas que vai vender tudinho. Então já imaginou nos próximos jogos no Mineirão se a cor rosa predominar na arquibancanda? Putzzzzzzzzz….

    Já comprou a sua?

    1. Tou muito “puto” com as gozações, mas em Brasília não chegou ainda… rsrsrs

  16. Palavras do Coelho:
    “Pela frente um campo com dimensões reduzidas. O toque de bola fica prejudicado. O ‘caminho mais curto’ para o gol muitas vezes é a bola parada. “Tecnicamente, o jogo não vai ser dos melhores. Nunca joguei lá, mas sei como funciona, campo pequeno, ruim de jogar. Vamos na vontade, na marcação e tentar aproveitar uma bola parada. Não vai ter outra maneira de tocar a bola”, disse o lateral-direito Coelho.
    Não seria uma oportunidade de escalar a equipe que vai jogar os 25minutos em TO? A partida de domingo não pode fazer parte do treinamento? Tenho mais receio do jogo em TO (que são só 25 min) do que contra o Vila, um adversário sempre valoroso, mas com brio.
    Os jogadores de TO, assim como o seu técnico, infelizmente, fazem parte de uma raça digamos, “diferente”. A forma de agir parece-se muito com os “perrelas”. Aliás, TO tem tudo a ver com as azuis…
    E dá-lhe, Galo!

  17. Olá, Stela!

    Para o Galo tudo é mais difícil, impressionante. Sua reza é fundamental, portanto continue indo à missa, por favor. Outro dia, aqui em Brasília, tinha um rapaz com a camisa do Galo na missa em que eu estava. Até comungou! Fiquei super comovido. Reforçando o que você disse, nós amamos demais esse Galo, sô! Independente de qualquer fator…

  18. Bom dia, Roberto e Galera!
    “Marcelo assina rescisão com o Bahia e deve ser o novo reforço do Atlético-MG – Lesionado, goleiro não atua há um mês e reclamava de salários atrasados”
    Vi essa manchete em um site ontem e hoje a GLobo.com está confirmando. O Kalil tá maluco? A cor de rosa entrou no seu cérebro? Todos esperando o Diego e ela traz um goleiro que ficou na reserva em um time da 3ª divisão?
    Tá meio complicado, não?! Alguém sabe alguma coisa desse cara? Soluções baratas nem sempre são as melhores. E isso nós temos exemplo em nosso elenco… E agora mais um…
    Ou estou “tremendamente enganado”.
    Dêem uma luz, por favor…
    E dá-lhe, Galo!

  19. Acompanhando os jogos do GALO fica claro a dificuldade que temos para furar a retranca dos times adiversários é necessário inverter as posições dos atacantes com maior rapidez para confundir a defesa adversária e não deixando de lado os chutes de fora da área que tem funcionado muito bem.

  20. Caro Vicente,
    Não vejo a vinda do Marcelo como um um problema cabeludo. Pelo modo de proceder de nossa diretoria até o momento, imagino que ele não deve ser a grande contratação para o nosso gol. Não tenho dúvida que o Kalil deverá trazer um goleiro mais conhecido. Só não espero pelo Diego, que está muito valorizado na Europa e o galo provavelmente não tem bala na agulha para trazê-lo. Mas quem sabe, né? O Guerra é que costuma ter conhecimento de negociações que estão em curso.E olha, normalmente ele acerta, viu?!?
    De resto, até mais.

  21. Amigos estou sem Computador e internet, mas acho que próxima semana resolvo este problema.

    Por isto não estou vindo normalmente aquí, que me faz muita falta.

    Quanto a camisa, para mim, tanto faz, só não gostaria que o Kalil não ferisse nosso estatuto, porque ele é sagrado.

    Quanto ao jôgo contra o timinho de Sta Catarina, é mais um vexame não aceito tantos êrros várias vêzes do mesmo jeito, aí é BURRICE mesmo, questionei tanto o Kalil, como o Luxa e Tardelli no Twitter, porque O ÊRRO FOI FEITO PARA SER CORRIGIDO, e porque até o momento nós não corrigimos, acho coisa simples.

    Não posso aceitar erros infantis.

Os comentários estão desativados.