ATÉ BREVE, MINEIRÃO!!

TEXTO ESCRITO PELO JORNALISTA E ATLETICANO LEO GOMIDE, COM EXCLUSIVIDADE PARA O LANCES&NUANCES.

Minas Gerais, terra de Tiradentes, Drummond, Guimarães Rosa, Clube da Esquina, entre tantos outros.
Minas de suas dimensões geográficas, rica por seus minérios, por sua cultura, culinária, pelo ‘mineirês’, pela receptividade de sua gente.
Minas que abençoou uma tradição, formou uma legião de seguidores, e cravou uma paixão no seu  povo.

Minas do Clube Atlético Mineiro.

Minas, que a partir de 6 de junho de 2010, mesmo que indiretamente, escreve uma nova página na história do Maior das Alterosas.
Minas que hoje se despede do ‘velho’ estádio Governador Magalhães Pinto.
No início da década de 30, o Galo fez do estádio na Olegário Maciel, o seu ‘Alçapão’, no entanto, a segunda casa, ou melhor, o quintal dos atleticanos, passou a ser depois de 1965 o Mineirão, o Gigante da Pampulha, ‘La Galoneira’, ou qualquer codinome criado pela Massa.

Neste domingo, o Atlético faz o seu último jogo no ‘antigo’ estádio.
Exigências para a Copa do Mundo de 2014, fazem com que o Mineirão passe por um longo período de reformas.
Mineirão, palco de inúmeras glórias, mas de alguns percalços.
Para os atleticanos mais antigos, estar no Mineirão neste domingo representa um viagem no túnel do tempo.

O Mineirão de 1971, de Renato, Humberto Monteiro, Grapete, Vantuir, Oldair; Vanderlei, Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Beto, Romeu, Spencer, Tião. O esquadrão de Telê que explode a nação alvinegra aos 30 do segundo tempo. Galo, o primeiro campeão nacional.
Aos atleticanos mais superticiosos, ao apito final da partida contra o Ceará, o momento de orar, e pedir para que alguns fantasmas sejam ‘expulsos’ do Mineirão, junto a toneladas de concreto que alí se formarão.

Mineirão da final do Brasileiro de 1977, banhado por lágrimas. Galo: o primeiro e único vice-campeão brasileiro invicto da história.
Mineirão do fatídico 27 de novembro de 2005, a maior mancha no currículo do Clube Atlético Mineiro, o rebaixamento para Série B.
Mineirão da volta por cima: quase um ano depois, o Glorioso retorna para onde nunca deveria ter deixado: Atlético 4×0 São Raimundo, 07 de novembro de 2006.

Mineirão de façanhas alvinegras: 1969, único time do mundo a derrotar a Seleção Brasileira.
Mineirão que coroou um Rei: Reinaldo, 255 gols pelo Galo.
Mineirão de João Leite, Kafunga, Cerezo, Luizinho, Vanderlei Paiva, Dario.
Atleticanos mais contemporâneos, o Mineirão dos títulos da Conmebol, das tabelinhas de Marques e Valdir ‘Bigode’, Marques e Guilherme.
Mineirão do maior vencedor do Estado: Atlético, 40 vezes campeão mineiro.
Mineirão do Clube Atlético Mineiro, o seu Terreiro.
O Mineirão muda, mas o bom filho à casa torna!

Até breve, Mineirão.

PARA SEGUIR NO TWITTER O AUTOR DESTE TEXTO, CLIQUE >>>@LeoGomide

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> @robertoclfilho

Anúncios

5 comentários sobre “ATÉ BREVE, MINEIRÃO!!

  1. Para mim acho é bom esta reforma no Mineirão.

    Como já frequentei Umbanda, sei que muitas pessoas fazem coisas ruins para outras, e o pior de tudo é a inveja, assim desmoronar, cavar, furar tirar aquela terra do mineirão, nada melhor para muitos tirarem da cabeça as mandigas que dizem ter sido feito para o Galo pelo Felicio Brandi Carmini Furletti e seus comparsas.

    Furando o gramado 3 metros o que tiver lá enterrado, zica sapo caveira qualquer coisa, nos alivia, nos limpa, e no espiritismo, quando se acha uma mandinga um feitiço êste é devolvido com todas as forças, dobrado, para quem o fêz, não desejo, mas é o castigo que volta a cavalo.

    O que eu quero é que descarregue o meu Galo, que limpe, que abre os caminhos, e nos deixe seguir adiante com nossas proprias pernas, é claro se puder que DEUS ilumine nossos caminhos e do nosso Galo.

    Para mim então amigos, nada melhor que derrubar a coisa que não está seguindo em frente e construir novamente, com novos fluidos e bençãos

  2. É Roberto a situação esta feia, e não adianta o Kalil e o Lumxemburgo falar que vai acertar durante a Copa do Mundo, O Luxa teve 5 meses para acertar o time , será que ele fará em um mes o que o galo não fez em 5 ? Até quando eu vou ver aranha, Wérley, Leandro, Muriqui?

  3. Noite Roberto e amigos;
    – despedida melancólica esta que tivemos hoje no Mineirão…penso eu que,antigos que horaram nossa camisa,e que hoje estão no plano mais elevado,mereciam mais…nomes, como os que fundaram a entidade Clube Atlético Mineiro a 102 anos atrás,¨ATLETAS¨que horaram,deram sangue pela camisa Alvinegra,primeiros torcedores,que ajudaram agigantar essa, que é hoje sem dúvida,a mais apaixonada,e,apaixonante torcida de um Clube de futebol no MUNDO,devem de estar tristes em ver que, tudo o que fizeram,não reflete em nada,nos que por hora,vestem a camisa do clube que tanto amaram [e amam até hoje,porque não]…no futuro serão lembrados estes ¨hereges¨ que hoje se despediram do velho Mineirão,não pela raça demonstrada no jogo,mas sim,por uma derrota,coisa que vem se tornando corriqueira,neste elenco ¨mequetrefe¨,e que envergonharam mais uma vez, sua imensa torcida…e isto, ninguém mudará…nem o ¨sobrenatural de almeida¨…melancólica nossa despedida do ¨Velho Mineirão¨,melancólica…!
    Saudações em Branco e Preto,e uma boa semana para todos nós…vida que segue !

  4. Aí Guerra vc falou o que eu iria falar tb….rs

    Espero que achem essa mandinga que fizeram contra o Galo e desenterre de vez essa cabeça ou sapo,sei lá o que que fizeram…rs

    Mas os nossos fracassos no gigante da Pampulha foi de pura incopetência mesmo em alguns casos e em outro assalto na cara dura mesmo.

    Hoje mostrou mais uma vez uma equipe incopetente e sem um pingo de qualidade técnica com um futebol sofrivel de baixissima qualidade. UMA PELADA !!!

    VERGONHA !!!

  5. Belo texto, compadre! Desculpe o atraso desse meu comentário, mas ando sem inspiração pra falar do Galo. Eu não tive coragem de ir me despedir dessa nossa casa. Meu coração não quis suportar essa tristeza. Você e meu pai tiveram o prazer e a honra de ver muito mais craques que eu, vestindo o MANTO ALVINEGRO na história do GIGANTE DA PAMPULHA. Mas brinquei com meu pai e farei contigo agora: Vamos apostar quem verá mais glórias e títulos, eu com o novo Mineirão e vocês com estas honras que eu não tive? rsrs… Claro que vocês dois também estarão junto comigo para viver esses momentos que por certo virão. É isso que eu quero tentar manter em mente e no coração durante esses eternos dois anos e meio sem Mineirão. Se me permite, faço questão de ir com você, compadre, ver o GALO voltar para sua casa, linda e reformada! Combinado? Até lá, vamos até o GALO para apoiá-lo onde ele estiver. Abração! E ATÉ BREVE MINEIRÃO!

Os comentários estão desativados.