CARTA AO PRESIDENTE KALIL.

CRÔNICA ESCRITA POR ANA CRISTINA GONTIJO ESPECIALMENTE PARA O L&N.

Prezado senhor presidente Alexandre Kalil,

É com muito respeito que escrevo esta carta. Não existe, nestes chãos de nosso Brasil, outro homem que eu gostaria de ver à frente de nossa nação alvinegra. É com segurança que sempre defendo seu nome, certa de que você tem sido incansável na busca por defender nossas cores, nosso escudo. Portanto, não me sinto órfã de presidente.

Acontece que estou com medo, logo eu, que não costumo deixar-me abater por coisa pouca. Acredito que todo trabalho sério será recompensado e sou sempre a primeira a pedir calma quando, ao meu lado, as pessoas agem como se tudo estivesse vindo abaixo. Fico irritada quando esses tais soltam xingamentos em golfadas, como se nosso mundo preto e branco estivesse sempre a ponto de se extinguir em algum abismo multicor.

Eu não. Eu sou serva da esperança. Chego a ser chamada de boba, ingênua, por sempre acreditar no impossível. Mas, presidente, cá entre nós, a verdade é que eu estou com medo. De ontem para hoje eu não dormi bem. Sonhei com futebol, reorganizei o time em campo, escalei a equipe que eu quis e fiz as substituições que eu gostaria de ter visto. Depois de um sono atribulado, acordei duas horas mais cedo do que deveria, cansada e triste. Por isso resolvi escrever.

Chegou o momento em que começo a duvidar de minha voz quando digo que o Galo não vai cair. Por favor, não me leve a mal. É que ainda guardo o gosto amargo do que nos aconteceu em 2005. A ferida, ainda lembro, foi difícil de fechar. A cicatriz que carrego é feiosa e, por favor, eu não quero outra. Ontem li que Corinthians e Vasco foram os últimos dois grandes clubes rebaixados, em 2007 e 2008 e que, ao final da décima quinta rodada, tinham 19 e 16 pontos, respectivamente. É por isso que estou com medo.

É claro que não vou abandonar a luta, não deixarei de vestir minha camisa e apoiar o time, sempre. Há muitos anos argumento que não ando atrás de títulos, e é verdade. Não troco meu escudo nem por cinco mil tríplices coroas. Se lhe escrevo, Alexandre Kalil, é exatamente porque não tenho para onde ir. É aqui que eu quero ficar. Já não poderia aprender a amar outro escudo, nem vestir outras cores. Minhas cordas vocais já não saberiam cantar outro hino. E um juramento eu faço: meus lábios jamais saberão o gosto de beijar outra bandeira.

Não estou aqui para lhe dar conselhos. Já faz um tempo que me demiti de ser dona da verdade e, de mais a mais, não sei o que se passa nos bastidores do clube. Não saberia opinar sobre uma possível demissão da comissão técnica, nem sobre mudança no esquema de treino. Tenho, sim, alguns questionamentos. Por exemplo, se um lateral direito é muito melhor que o outro, por que ele continua no banco de reservas? Se um esquema com três zagueiros não funciona, por que o treinador continua utilizando-o? Se um jogador não é goleiro, por que ele veste a camisa 1, se sempre aprendemos que todas as peças são importantes em um time? São perguntas que me acompanham ao longo da semana e seguem martelando após cada apresentação da equipe.

Quero terminar esta carta dizendo que lhe desejo sabedoria para conduzir este momento à frente de nosso Galo. Se você, como nosso comandante, também está confuso e talvez (apenas talvez) com medo, peça paz, coragem e sabedoria do Alto para realizar seu trabalho. Por favor, apenas prometa que não deixará de lutar e de colocar os interesses do clube acima de quaisquer interesses individuais. Nós precisamos de seu pulso firme. Precisamos de suas decisões e esperamos que sejam sensatas. Só você pode fazer com que a realidade do nosso Galo não se distancie cada vez mais das palavras que cantamos no hino.

Existe uma nação ao seu lado e não iremos a parte alguma. Mesmo que já não sejamos tantos, mesmo que já não sejamos tão fortes, mesmo feridos, nós, os que ficarmos, seremos um povo que não foge à luta!

Um abraço alvinegro,

Ana Cristina Mendes Gontijo

PARA SEGUIR A AUTORA DO TEXTO NO TWITTER, CLIQUE >>> @anacrisgontijo

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> @robertoclfilho
Anúncios

22 comentários sobre “CARTA AO PRESIDENTE KALIL.

  1. Bom dia, Roberto e Galera. Um bom dia especial à Ana Cristina.
    Excelente. Põe a descoberto todo o sentimento do verdadeiro atleticano. Só falta o Kalil receber esta carta. E, Roberto, aplique todos os meios possíveis para que esse sentimento do atleticano chegue ao Kalil.
    Quero aproveitar e transcrever uma parte do texto do Cabrito sobre a nossa situação, que merece, sim, um reflexão do nosso Presidente, ca Comissão Técnica e dos nossos jogadores.
    Um texto que tem que calar profundamente nos personagens que querem se tornar participantes da sofrida, mas gloriosa história do Galo.
    “…A derrota não tem sido a nossa maior perda; e, sim, o desânimo, que nos invade, sorrateiro. Ao virar as costas para a vitória, estarão de frente para o espelho que a Massa lhes mostra. Depois de vocês, continuaremos grandes. Quanto a vocês, que agora nos representam em campo, se teimarem em não nos honrar com vosso sangue, nada poderemos fazer, a não ser pagar-lhes com a mesma moeda: o esquecimento.
    O famoso treinador, que coordenou times vitoriosos, com títulos nacionais, precisa rever seus conceitos. Trabalhando e lutando, a derrota é aceitável. Já o blá-blá-blá é intolerável para o apaixonado torcedor.
    Kalil, não jogai vossas pérolas aos porcos. No CT, lave as mãos, a roupa suja e deixe a água escoar pelo ralo.”
    E que, nesta preleção, o Kalil possa avaliar/identificar os “gargalos” que estão congestionando o nosso time. Gargalo esse que tem como indicativos as vaidades pessoais de “quem é o mais importante do time”, quem está sendo apontado como a melhor contratação em detrimento das demais e dos que já estavam no elenco, e coisas desse tipo…
    Em tempo: O Luxemburgo não estava tão teimoso com o Macedo? O cara nem foi relacionado para viajar. Por que tanto “radicalismo”? Não seria uma “atitude raivosa” conta a Massa? Tem torcedor criticando o Macedo, mas o cara não é “descartável”. Tem suas utilidades e mostrou isso em algumas oportunidades. Esse “corte instantâneo” está mais parecendo “pirraça”: “se der errado foi culpa da torcida”…
    Espero que o lançamento do Eron seja bem sucedido, mesmo carregando uma grande responsabilidade sobre seus ombros. Ele é o titular do time Junior? Boa sorte para ele, para refletir em alegria para a Massa.
    E, dá=lhe, Galo!

    1. Brilhante o texto da Ana, não a conhecia, passei a seguir no Twitter…

      Falou tudo que ñós pensamos… E desejar sabedoria ao Kalil para fazer a melhor decisão é o melhor que podemos fazer. Ainda bem que temos um presidente que tenho certeza que é tão atleticano quanto nós e quer o melhor para o Galo.

      O Luxa me surpreende a cada dia, negativamente. Que o Macedo tem suas deficiências, todo mundo sabe. Mas deixar ua opção como ele de fora até do banco de reservas, beira o ridículo!

      Se o menino Eron tremer na base (Deus queira que não), quem ele vai colocar? Vai puxar o Ricardinho pra esquerda de novo? O jogador mais lento do futebol brasileiro na atualidade (apesar de outras inúmeras qualidades)… Não tinha porque deixar o Macedo de fora da lista de relacionados! Era melhor ter ele como opção do que Fabiano, Mendes e Joap pedro juntos no banco…

      Nao entendo mesmo!

      E espero que o Luxa seja homem o suficiente de, no momento em que perdeber que não dará mais certo (se já nao percebeu), PEÇA PRA SAIR!

      1. É. Esta do Macedo foi de lascar. Ele é limitado, sim. É afobado, sim. Mas não podemos nos dar ao luxo de deixar nego de fora. Se Rafael Cruz entrar mal, se se machucar, vamos ter que improvisar um meia lá na lateral direita. Aí, se ataca, abre uma avenida. Se defende, não municia o ataque. O Diego Macedo não sabe cruzar, mas é rápido e tem mais chances de ajudar na lateral direita do que um jogador que tem outra posição de origem. Pelo menos é o que eu acho. Ê Galo! :o(

  2. Parabéns pelo texto Ana. Retrata bem o sentimento de impotência que estamos sentindo diante dos fatos e consequências das seguidas derrotas. Precisamos de um presidente atuante como imaginávamos que ele seria. Eu discordo de nossos colegas quando pedem a cabeça do treinador, uma vez que não há disponibilidade no mercado de outro técnico do mesmo nível, mas, é preciso dar uma sacudida na turma. Talvez seja isso o q estava faltando.
    Obrigada por nos dar a oportunidade de nos expressarmos.
    Grata
    http://www.twitter.com/anlusantos

  3. A Ana, às vezes, ausenta-se do twitter e nós, simples admiradores da inteligência humana, sentimos muito a sua falta. Mas, minha querida Ana, se quando voltar, for assim em grande estilo, então ausente-se do tempo que precisares.

    Parabéns pela carta. Parabéns, mesmo! Quem me dera compartilhar da mesma visão. Sinto remorso por “dar conselhos” ao Galo. Obrigado por ser Atleticana! Grande abraço.

    1. Israel, eu não me ausento do twitter. É que fico escondidinha, mais lendo que escrevendo. De vez em quando eu surto e escrevo um monte, depois me calo.
      Tenha remorso não. Se eu tivesse conselhos, também daria. O fato de não tê-los dado é mais por ignorância e menos por humildade. Pode acreditar. hehe
      Beijo alvinegro tuiteiro.

  4. Mais uma vez um primor de texto! Expressa com toda a profundidade e sinceridade o que toda a Massa sente neste momento: medo. Medo daquilo que ja vivemos e conhecemos o gosto amargo.
    A Massa estara sempre junto com o time, empurrando, amando, idolatrando aqueles que fizerem jus, que honrarem o nome do Clube Atletico Mineiro.
    Parabens Ana Cris! Parabens Roberto, por contar com tamanho talento em seu time!

    1. Obrigada, amiga. A massa alvinegra no Brasil ainda aguarda sua vinda pra nos ajudar a levantar o bandeirão.
      (Mas isso eu disse porque esqueci que o mineirão está fechado. Snif…)
      Um beijo.

  5. Ana Cristina! vc é fantástica!
    graças a mulheres Atleticanas como você nosso Galos será sempre imortal.

    um grande abraço!

    Saudações!

    1. Se eu inchar mais, me estouro toda e vai ser difícil achar os pedacinhos. :o) Obrigada.

  6. Ana Cristina,

    Você tem a coragem e a competência de escrever tão claramente o que está abando nosso peito.
    Tenho convicção que seu texto será não apenas lido pelo Kalil, como também respondido.

    Saudações atleticanas.

    1. Homero, querido,
      Feliz com sua visita ao blog do Roberto. De verdade. :o)
      Quanto ao Kalil ler, espero que sim. Quanto a responder, nem espero nada. Se ler e acolher minha súplica, já me darei por satisfeita, muito satisfeita. Por mim e por nós.
      Saudações alvinegras e itaunenses.
      Um beijo,
      Ana

    1. Obrigada, amigo Jota! Apareça pelas terras tuiteiras. Sinto sua falta lá.

  7. simplismente expetacular… eh isto q sentimos e vivemos…Q Ele(kalil) leia e realmente faca nossa historia mudar de direcao…

  8. Amigos alvinegros, fico feliz que vocês tenham lido a carta como se fosse de vocês. E é! Estou certa de que não senti nada sozinha, mas antes mesmo que eu escrevesse, o nó na garganta se repetiu milhares de vezes nos corações alvinegros espalhados pelas Gerais, Brasil e mundo.
    Queria que as palavras fossem alegres e que o momento fosse de festa, mas que fazer, não é?
    Resta-nos torcer e esperar por dias melhores.
    Como diria Drummond de Andrade, em um dos versos da minha vida: “Havemos de amanhecer.”
    Ah, se havemos!
    Obrigada pelos comentários. E obrigada, querido amigo Roberto, por ceder o espaço em seu excelente Lances e Nuances (não é babação de ovo. Você sabe que sou fã).
    Um beijo,
    Ana Cris

  9. Ola Ana Cris!

    Para mim que estou tao longe da terra Brazilis sempre e’ uma luta arranjar um espacinho na enorme demanda do provedor da “radio Itatiaia online” durante os jogos do Galo. E confesso que recentemente vinha andando como um soldado ferido de guerra que caminha e caminha na esperanca de rever sua patria,no caso em questao uma boa vitoria, mas ela nunca chega. E assim, venho manquejando e a falte de esperanca se instalou.

    Agora, depois de ler seu texto, aconteceu uma coisa muito engracada, porque sentir reavivar terrivelmente o meu “Galinismo”, o que nao quer dizer que a esperanca de dias melhores ressucitou. Esta, so quando eu souber que o Kalil leu sua carta e se posicionar com relacao aos nossos anseios, porque voce falou por nos!

    Saudacoes Alvinegras direto do quintal da Rainha!

    Grande beijo!

    Leo Rocha

  10. … há longos e tenebrosos anos,vemos um GALO com as asas arriadas,crista baixa,penas sem brilho e esporas recolhidas…há muito ñ se ouve seu canto, que antes, era ouvido aos quatro cantos do mundo [quiçá , do universo], apenas pios de lamento hoje são ouvidos,ñ deixou de ser guerreiro,isso nunca,mas o que fizeram com ELE,minou suas forças…hoje se vê ás vezes tripudiado,tenta defender-se,sente-se acuado,esboça uma tímida reação,em vão… está preso,amarrado,estão tirando DELE o que mais gosta de fazer,seu ideal que é LUTAR,LUTAR E LUTAR COM TODAS AS SUAS FORÇAS PRÁ VENCER, ELE sente que tem forças de sobra,seu coração palpita diante de um embate,sacode seu corpo,como sendo um pedido de liberdade,cisca em seu TERREIRO, demarca seu território,mostrando que,apesar de triste,ñ está abatido,sente-se inquieto,seguro da força que tem,quer ir à luta,sabe que ñ perecerá,sabe que sua FORÇA nunca irá acabar,já que esta FORÇA vem de 102 anos atrás,veio sendo solidificada ano após ano,dia após dia ,ELE sabe que sua FORÇA provém de seus seguidores fiéis,e mesmo amargurado,sabe que NUNCA SERÁ ABANDONADO PELA IMENSA NAÇÃO ATLETICANA ,e tenho dito.
    PS. Ana,ATLETICANISMO PURO em sua missiva ao sr.Presidente do CLUBE ATLÉTICO MINEIRO,é o que todos nós estamos sentindo,tá na hora dele LIBERTAR NOSSO GALO,tirá-lo desta tisteza em que ELE se encontra e, deixá-lo entoar seu poderoso canto, para todos ouvirem, o qto esse GALO AÊ, É PODEROSO,simples assim…!
    Abs. Ana,Roberto e amigos >>> GALO SEMPREEEEEEEEEEEEEE…<<<

  11. È Ana, sempre tirando de nossos corações, as palavras certas, claro, é Atleticana, e é o que todos nós sentimos, lí e escreví lá na página do Galo para todos os departamentos para eles visitarem o L&N e ler a carta refletir e colocar em prática porque não é só de você o sentimento mas de toda uma nação.

    È realmente, não saberemos para onde ir, beijar outra outra, nem morto, não é a nossa amada, usar outra prá quê se ela não é a côr e nem a nossa paixão, então Kalil e assessores se virem, coloquem nosso Galo no POLEIRO porque não somos rasteiros, somos é lá do alto imponente e cantador no nascer deste nôvo dia.

    Parabens Ana, e com saudades, de você e da turma, tão logo me recuperar mais um pouco vamos marcar um mercadão e um jogo não importa onde.

    http://www.twitter.com/jonesguerra

Os comentários estão desativados.