DAQUI A POUCO, O ATLÉTICO ENFRENTA O SÃO PAULO, NO IPATINGÃO.

Para consolidar a recuperação no Brasileiro, o Atlético necessita da vitória como nós precisamos de oxigênio para viver.

Para isso, contará com a seguinte escalação, no 4-4-2:

Fábio Costa, Diego Macedo, Réver, Werley e Eron; Jataí, Serginho, Fabiano e Ricardinho (Mendez); Neto Berola e Obina.

É praticamente o mesmo time que enfrentou e venceu o Goiás no Serra Dourada, apenas com a entrada de Ricardinho ou Mendez no lugar de Jackson.

O São Paulo é um time difícil de ser batido. Não se iludam aqueles que valorizam demais a má fase vivida pelo time paulista.

É uma equipe de pegada e que sabe, como poucos, congestionar o meio de campo.

Portanto, os nossos jogadores não têm o direito de dormir em campo, nem sequer um cochilo podem ter.

Há que se jogar concentrado desde o primeiro ao último minuto de jogo.

Deve-se ir na bola como se fosse um prato de comida e essencialmente, não desperdiçar chances de gols. Perder gols contra o São Paulo pode representar o princípio da derrota.

Hoje, mais do que em outros jogos, volantes e meias atleticanos terão de exercitar a solidariedade em todos os setores da meiúca.

Um jogando pelo outro e combatendo quando perder a bola. E isso vale para os onze!

Pois a nossa situação na tabela faz de cada jogo futuro uma verdadeira batalha. Cada partida se transformou em uma decisão e assim deve ser encarada pela equipe alvinegra.

Não é tempo de pensar. É tempo de vencer!

Vamos pra cima deles, meu Galo querido!

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> robertoclfilho

Anúncios

6 comentários sobre “DAQUI A POUCO, O ATLÉTICO ENFRENTA O SÃO PAULO, NO IPATINGÃO.

  1. Estou em minas e infelizemnte não vou poder assistir ao jogo pois não vai ser transmitido p/ minas pelo sportv.

    Terminar o primeiro turno fora da zona da degola terá um impacto tremendo sobre minha auto estima, pois o galo é uma extensão do meu viver, então eu espero q o galo vença e assim eu possa assistir a um segundo turno com mais alegria. E acreditar no tal projeto 2011, q segundo o kakil e o luxa será o ano do galo.

    Pq esse ano já foi p/ o espaço pois o “melhor treinador do brasil” não conseguiu(apesar de todas as condições fornecidas) montar uma equipe que poderia ser chamada de meia boca, aliás, meia boca seria um elogio.

  2. mais uma vez o luxa escalou errado e depois mexeu errado , uma lastima .

  3. Bom dia, bem “catastrófico”!
    Pois é. Duro é ver um jgo desses, depois de uma “virada” das marias em cima do porco…
    É dose. O time não estava o ideal, mas não deixou as bambys fazerem muita coisa no 1º tempo.
    No segundo, após a virada, parece que o time entrou como se tivesse ganho o jogo: totalmente desligado, a bola passando a centímetros dos pés dos nossos “atletas” e não tinha um que mostrasse disposição de bloquear a jogada.
    No 2º gol das bambys, garra mostrada pelo atacante, contra a displicência da zaga e bloqueio atrapalhado do Fábio Bosta.
    No 3º, novamente a raça e atenção do ataque das bambys, contra a displicência e autosuficiência da zaga: o ataque acreditou no lance; a defesa considerou a bola já na linha de fundo. E falta de experiência do Jataí, que tinha que dar chutão de primeira, e não “tentar ajeitar”.
    E o nosso ataque? Com Berola em noite sem inspiração, sobrou para Obina fazer alguma coisa, sem, contudo, ser suficiente.
    E o nosso ex-treinador? Mexeu errado. E o genrão é “imexível”! Não “apertou” os atacantes para aproveitarem que a zaga dos bambys estava amarelada. E por aí, vai.
    Uma pequena observação:
    Desde que estivemos na Z4, os times que estavam próximos estavam perdendo ou empatando, não se distanciando na pontuação, ou seja, apesar de ser “agosto”, a sorte não tinha abandonado totalmente o barco. Por fim, o Grêmio, com o empate com o Bota, deixou a última chance clara para escaparmos da Z4 e terminarmos o 1º turno fora dessa maldita zona. E nada. Entregamos um jogo ganho, exclusivamente por falta de “raça”. Técnica nunca teve.
    E agora, as coisas ficam cada vez mais difíceis.São 19 jogos. E se não ganhar todos, é possível continuarmos no precipício.
    Como é que pode um time com tantas “estrelas” fazer tantos jogos ridículos? O Atlético-GO dando goleada num time que fez 4 gols no Galo… o time das marias dar uma virada daquelas num time que virou em cima do Galo.
    É dose, né?
    Por mais que tenhamos “vibrado” com as contratações do Kalil, acho que fomos “enganados”: nenhum está dando pro gasto. Enquanto que as contratações das bambys estão mostrando a que veio. Será que tem alguma coisa por tras disso???
    E, dá-lhe, Galo!

  4. È duro ver o azul cesta basica, contratar jogadores desconhecidos e os mesmo deslancharem em campo e o nosso GALO contratar craques, renomados conhecidos e os mesmo não jogarem porrrra nenhuma, e o pior é que ela estão na nossa frente hááááa néeeeeem é de doer mesmo.

Os comentários estão desativados.