A ALMA DO GALO

Há alguns meses escrevi um texto para o L&N, no qual comentei que ainda não havíamos concluído um jogo que ocorreu há muitos anos. O tempo parece ter parado ali, naquela fatídica final de campeonato contra o São Paulo (campeonato brasileiro de 1977).

Aos que não se lembram _ ou os que talvez nem eram nascidos naquela época _ saibam que fomos vice-campeões invictos. Fizemos uma campanha memorável. Éramos, de longe, o melhor time do campeonato. E perdemos sem termos perdido. Na verdade, não perdemos: entregamos o que era nosso.

Precisamos urgentemente descobrir o que aconteceu. Por que deixamos o campeonato que estava em nossas mãos ser levado por um time muito inferior, mas que lutou muito mais, mostrou muito mais raça e vontade de vencer? Porque aquele time que nos representava não seguiu nosso ideal? Deixar-se vencer, em nossa própria casa!  Bastava um mísero golzinho, Galo. Os deuses do futebol ainda não nos perdoaram.

Quem estava no Mineirão naquela tarde-noite sabe do que estou falando. Temo,  inclusive, que o Galo tenha morrido naquele dia e o que vaga por este mundo é apenas uma caricatura, um espectro, um zumbi, uma sombra, sei lá. Na verdade, creio que o corpo ainda sobrevive; e, de alguma forma misteriosa para mim, foi a alma do Galo que se viu despojada… e vagueia, sem saber para onde ir.

Então é isso, enfim entendi! O Galo perdeu sua alma. E isto aconteceu lá, naquele jogo, quando então teve início toda esta nossa história, que desde então é marcada por tragédias.

Talvez, Galo, sua alma esteja bem perto, mas você não consegue vê-la. Sua alma o aguarda, mas você não se empenha em encontrá-la. Insiste em viver apartado dela. Mostrou isso muito bem na última partida que jogou neste ano de 2011. Esta última goleada que você sofreu nada mais é do que a continuação daquele jogo de 1977. Você tem sido pusilânime, Galo!

Os jogadores que entraram em campo nesta goleada vergonhosa, simplesmente não sabem o que é a alma do Galo. Jogam por si mesmos, assim como os soldados que lutam numa guerra, não para defender seu povo, sua nação e os ideais da mesma. Lutam por si e para si. A estes se dá o nome de mercenários.

Galo, você ainda nos deve o campeonato de 1977. Você ainda não terminou aquele jogo. Enquanto não voltar lá, ao gramado, e reconquistar aquele campeonato que  permitiu que nos levassem, continuará assim, como um corpo moribundo, caído, chutado, cuspido, escarrado e pisado. E pior: inerte!

Galo: devolva-nos o que é nosso. Queremos a alegria, a autoestima, o amor próprio, os nossos valores e nossos ideais. Galo: devolva-nos a nossa vida. Devolva-nos você!

Assinado: sua alma, a Massa!

Para seguir este colunista no twitter, clique aqui.

Siga este blogueiro no twitter clicando aqui

Anúncios

11 comentários sobre “A ALMA DO GALO

  1. Perfeito!
    Se falam da seleção de 82, o Galo de 77 foi superior, claro, por ter o Reinaldo.
    Tragédias deste tipo, somente acontecem com clubes que fazem parte do futebol que vem do resto do Brasil, não é dona Globo?
    @cabrito2606

  2. Perfeito!
    Se eles da mídia, falam da seleção de 82, o Galo de 77 foi superior, claro, por ter o Reinaldo.
    Tragédias deste tipo, somente acontecem com clubes que fazem parte do futebol que vem do resto do Brasil, não é dona Globo?
    @cabrito2606

  3. Uma maneira ao mesmo tempo bonita, triste e trágica de colocar a história do Clube Atlético Mineiro. Sempre vejo aquelas finais com o Flamengo em 80 e 81 como os jogos divisores de água da história e da alma do Galo. Ali, o nosso CAM começou a tenebrosa descida rumo ao umbral em que se encontra há anos. Isso na minha visão.
    Mas pensando bem, antes houve esse jogo contra o São Paulo, em que tínhamos o campeonato nas mãos, e deixamos escapar. Tínhamos não só o campeonato, que é o máximo que se almeja, mas também o artilheiro, o melhor ataque, a melhor defesa, o melhor time. Tínhamos tudo que um time deseja e quer alcançar. Mas não alcançamos.
    Talvez seja essa história, esse campeonato, a maior ferida, o maior trauma que carregamos em nossa alma. Ali ficamos marcados profundamente. Tanto que depois disso, não conseguimos mais nada que pudesse nos orgulhar de verdade. E lembro-me bem, ficamos marcados em cada decisão que disputávamos. A cada disputa, o Galo parecia tremer, temer por mais um desastre, e não conseguia mais render o que se esperava. Aquela derrota determinou tudo o mais à partir dali.

  4. O Atletico precisa de uma mentalidade vencedora. E isso tem partir da torcida tb, mtas vezes vejo o Galo indo mto mal das pernas quase caindo, ai pega as marias pela frente, e ganha a partida, tudo vira festa os torcedores do Galo festejam como se fosse um titulo, e se esquecem q la ta um presidente q quase nos mandou pela segundo ano seguido para segunda divisao a custa do seu aprendizado. Vencer as marias é mto bom, era o q faziamos de melhor, pq nem isso hj conseguimos fazer direito.Mais quem ta la dentro comando o Atletico volto a dizer tem q ter mentalidade vencedora. É mellhor perder as 2 partidas paras as marias e terminar campeao brasileiro, do q ao contrario. Esse negocio q pode perder o campeonato mais nao pode perder para as marias tem q acabar no Atletico. Mentalidade vencedora. Se o Atletico voltar a conquistar titulos, vareas tragedias q aconteceu conosco de certa forma essas feridas teram uma cicatrizaçao bem melhor, ate o ponto de quase desaparecer. mais como o Atletico infelizmente ta sempre apanhando, essas feridas nunca saram e ficaram latejando. Um exemplo se o Atletico tivesse tomado de 6 das marias como tomou, mais tivesse sido campeao brasileiro um ou dois anos antes, talvez essa pancada iria doer um pouco menos, iria ser castastrofico, mais iria doer um pouquinho menos, mais como o Galo só vem nos dando vexame a anos e quando ele vai e nos da mais um como foi a ultima partida desse ano, ai o Alteticano, junta todas as ferias q o Galo ja nos causou e junta tudo de uma vez só. Precisamos do nosso GALO FORTE E VINGADOR. Pq a nos o Atletico nao faz mais juizo disso, a torcida canta Galo forte e vindador, mais só parte dela, pq anos o nosso amado time, só nos da tristeza, 40 anos sem ganhar nada, e sempre apanhando e quse chega perto de um titulo sempre ficando no quase, até quando essa torcida vai aguentar, apoiar, apoiar e o Galo nao retribui nem um pouco esse amor, se fosse um outro clube teria deixado de existir a muito tempo.

  5. Parabens, eu estava em 1977, fui para o Mineirão as 9 da manha com meus amigos , meu pai e meu irmão
    Meu pai hoje esta com 82 anos aprendi com ele a ser atleticano, e nao trocer para o Ateltico, ser atleticano eh tudo como vc definiu
    Vo aos 82 meu pai tao triste qto ficamos em 77 qdo ele tinha 49 anos, fomos juntos em 1971 ele tinha 43, 40 anso depois , meu pai esta idoso, sera que ele nao vai mais ter a alegira de ver o Galo SER ALGUMA COISA????
    pARABENS NOVAMENTE
    HUGO

  6. Essa cicatriz ainda está aberta, e depois de mais de 30 anos, ainda doe, e muito, esse vice-campeonato. Acho que pior que o de 80, pois em 77 o Galo perdeu para ele mesmo, e nao para o time limitado do SPFC.

    Enfim, o seu texto, amigo Jota, é simplesmente o que todos nós, da Massa, sentimos.

    Ainda estamos o torcendo para que o Cerezo converta o pênalti…
    lamentando que o Reinaldo nao tenha jogado…
    ainda estamos em tranze diante da tragédia.

    O Galo pode, deve, acordar e retomar o seu lugar. O de melhor time do Brasil.

    ESTOU AGUARDANDO O DESPERTAR DO GIGANTE!

    Galo Sempre!

  7. Eu morava em São Paulo e vim só para assistir a este jôgo. Os meus coledas de trabalhop lá (sãopaulinos) me pediram : “quando você voltar vê se não enche muito o nosso saco c/ este GALO (ou seja , eles sabiam que iam perder e já pediam par não serem “gozados”) …triste ironia … na volta eu é que tive que pedir –> não me encham o saco , por favor! . Esta ferida ainda está aberta !!! Renasça GALO . você pode e tem que fazer isto !!!

    Galo até morrer !

Os comentários estão desativados.