O TEMPO ATLETICANO EM IMAGENS SOLTAS

Se no calendário marca, então vá lá, sou do tempo em que o Galo foi campeão de 1971, mesmo não tendo ideia do fato.

Sou do tempo em que Dario recebia do locutor o apelido de Apolo 9, mesmo não sabendo o que era Apolo 9.

Sou do tempo em que Lola armava as jogadas do Galo, e sendo do Galo, para mim, valia.

Sou do tempo em que Vantuir dava segurança ao time. O moço da rádio Inconfidência, no meu rádio Semer, falava, uai!

Sou do tempo em que o goleiro era Mussula, depois o Careca e logo Renato, o nosso aranha negra.

Do tempo em que o uruguaio Mazurkiewicz chegava com o rótulo de maior goleiro do mundo e, ao me levantar em seus braços, acima de sua cabeça, mostrou e provou que eu era maior que ele. Eu, menino o bastante para ser levantado pelo gigante com o  manto atleticano.

Do tempo em que o assombroso time de 77, invicto, pôs os mais ferrenhos adversários encantados com o nosso Galo. O Brasil todo, de Norte a Sul, era atleticano e que, por sua vez, era o ariete a bater nas masmorras da abertura, né, Rei?

Nessa final de 77, com 10 pontos à frente, perdemos nas penalidades máximas o título para o São Paulo, né, CBD/Chicão?

Do tempo que a grama com a bola pariu entre as traves o “baby”craque que desmontava as defesas, derrubava os Morais, os Rauls e impunha seu reinado que assustava o mundo da bola, né, Geisel/Coutinho?

Testemunhei o Rei calar o povo carioca, fazer tremer os urubus do aterro e isto é História, não pode ser negado, pois o Brasil sabe de todas as verdades debaixo da plim..plim..

Eu ví o José de Assis Aragão, UMANO que é, HERRAR como todos os seus iguais, que depois, herraram na mesma cartilha de suas regras claras, né, Arnaldo?

Vi o Wright cumprir com o seu “trabalho”, ganhar emprego vitalício e debochar do homem normal que somos.

Eu ví a década de 90 passar.

Sim, eu sofri, não com as derrotas do time atleticano em campo, pois todo torcedor sabe que perder, empatar ou ganhar é parte do jogo jogado. E o Galo foi acalentado em nossos braços, sob o hino e para seu lugar retornar, ao som do mesmo poderoso hino, né, seo Vicente?

Sofrer não faz parte do atleticano. Indignação, sim!

Você pode acreditar que, por ter vivenciado parte desta História atleticana, eu tenho 40,50,60.70,80, 90 ou até 104 anos.

Não, meu amigo, vivemos na mesma imagem. Eu apenas nasci primeiro do que os que não presenciaram o que escrevo e, necessariamente, não que dizer que eu seja mais velho por este detalhe das chegadas e das partidas nesta estação atleticana.

O tempo atleticano, meu amigo, nada mais é que imagens em movimento dentro desta eternidade alvinegra.

Aproveitemos as imagens, pois!

PARA SEGUIR O COLUNISTA NO TWITTER clique aqui

SIGA ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER clicando aqui

Anúncios

5 comentários em “O TEMPO ATLETICANO EM IMAGENS SOLTAS

  1. Boa Tarde

    OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA

    O TRATAMENTO DESIGUAL DADO AS TORCIDAS DO GLORIOSO E DO TIMECO FALIDO

    Crimes praticados pela bandidagem azul que a imprensa-mg jamais divulgou!!!

    CONTEXTO GERAL
    Bandidagem azul : assassinam pessoas! Faz arrastões! Depredam ônibus, patrimônios públicos, jogam objetos nos gramados! Invadem estádios, gramados etc…etc…E JAMAIS SÃO PUNIDOS!!!

    Massa atleticana, especialmente a Galoucura e a Instituição ATLÉTICO são rigorosamente PERSEGUIDAS pela imprensa e Justiça!!!
    Estão sempre divulgando confusões envolvendo torcedores do glorioso, especialmente da GALOCURA, ALÉM DOS DESDOBRAMENTOS DAQUELE CASO NO CHEVROLETT HALL, MAS NÃO COBRAM DA JUSTIÇA A PRISÃO DA BANDIDAGEM AZUL QUE ESTAVA COM DESTINO AO RIO DE JANEIRO, MAS Sabia DO EVENTO E FOI LÁ NO CHEVROLLET HALL DE PROPÓSITO SÓ PRA CAÇAR CONFUSÃO COM OS CARAS DA GALOCURA, JOGARAM PEDRAS… MAS SE DERAM MAL.QUANDO O BICHO PEGOU, ESSES assassinos, COVARDES SAIRAM CORRENDO E DEIXARAM UM “ ANJINHO AZUL” PRA TRÁS! E O “ ANJINHO PURO E INOCENTE “ foi morto!!
    Vocês já cansaram de ouvir funcionários do Emanuel raposa mandar abraços para os chefes da máfia azul e outras facções!!!
    Sempre abrem espaços para bandidagem azul mandar recados e convites para caravanas!
    Leiam e tirem suas conclusões

    RELAÇÃO DE TORCEDORES ATLETICANOS ASSASSINADOS PELA BANDIDAGEM AZUL
    Desde 2004, nove mortes ocorreram no estado por causa de conflitos de torcedores. Duas delas foram próximas a estádios: em agosto de 2005, nas imediações do Independência, no Bairro Horto, e em maio de 2007 perto do Mineirão.
    Na ocasião, a morte de Washington Sebastião Teixeira ocorreu depois de um clássico entre as equipes juniores de Cruzeiro e Atlético. Ele e outros dois atleticanos passavam pela Avenida Silviano Brandão, quando foi atingido por tiros vindos de um carro ocupado por três cruzeirenses.

    FEVEREIRO DE 2009.
    Um torcedor do Atlético foi morto em um ponto de ônibus na Avenida Silviano Brandão, no Bairro Horto, quando esperava por um coletivo para ir ao Mineirão, assistir ao clássico entre Atlético e Cruzeiro.
    Segundo a Polícia Militar, Lucas Anastácio Batista Marcelino estava com um grupo de torcedores quando dois homens passaram pelo local em uma moto e, em seguida, atiraram. Testemunhas disseram que os responsáveis pelos disparos vestiam camisas da Máfia Azul, principal torcida organizada do Cruzeiro.
    10 DE JULHO DE 2004
    O estudante e torcedor do Atlético, Gustavo Teles Gonçalves, de 15 anos, baleado quando voltava para casa depois da partida entre Atlético-MG e Cruzeiro, morreu no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Gustavo voltava do Mineirão acompanhado do irmão Bernardo Teles Gonçalves, de 18
    anos. Eles estavam na avenida Olegário Maciel, quando um ônibus que levava integrantes da Máfia Azul, do Cruzeiro passava pelo local e um dos passageiros sacou uma arma e atirou cinco vezes. Um dos tiros acertou a cabeça de Gustavo. O homem fugiu do local e até hoje não foi descoberto
    05 DE AGOSTO DE 2005
    Washington Sebastião Teixeira, torcedor do Atlético, Bairro Horto
    Pedro Ferreira, torcedor do Atlético Mineiro 6 de maio de 2007 Entrada do Mineirão
    Samuel de Souza Tobias, torcedor do Atlético Mineiro 27 de janeiro de 2008 Centro da capital

    TORCEDORES DO CRUZEIRO PROMOVEM CORRE-CORRE E PANCADARIA EM COPACABANA
    Confusão na Zona Sul do Rio ocorreu no começo da tarde deste domingo
    Torcedores cruzeirenses, que chegaram no Rio de Janeiro para acompanhar a partida deste domingo contra o Flamengo, no Maracanã, tumultuaram o ambiente em Copacabana, bairro da Zona Sul carioca. O ex-dirigente do Fla, Walter Oaquim, presenciou tudo e ficou chocado com a selvageria:
    – De manhã, cerca de 20 ônibus da torcida do Cruzeiro já passavam com membros que gritavam palavrões ofensivos. Por volta de uma hora da tarde, os ônibus pararam na Princesa Isabel. Esses torcedores desceram e começaram a proferir xingamentos. Alguém que estivesse na rua e respondesse ou olhasse de lado era ameaçado – conta Oaquim, que ainda disse ter visto cenas piores.

    – Eles correram para cima de um rapaz para espancá-lo e tentataram agredir outras pessoas. Foi uma brutalidade, uma covardia. Algo inadmissível. As pessoas corriam assustadas. Algumas lojas fecharam na hora. Foi muito assustador. Eles desciam pra bater em todo mundo, para quebrar. É caso de polícia, e eu não vi nenhuma polícia por perto. É um absurdo.

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Brasileirao/Serie_A/0,,MUL710371-9827,00-TORCEDORES+DO+CRUZEIRO+PROMOVEM+CORRECORRE+E+PANCADARIA+EM+COPACABANA.html

    TORCEDORES DO CRUZEIRO SE ENFRENTAM EM NOVA LIMA

    Membros da torcida organizada Máfia Azul se enfrentaram nos arredores do estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima , antes da partida entre Villa Nova e Cruzeiro, neste domingo, pela 3ª rodada do Campeonato Mineiro. Segundo o tenente coronel Emídio, da Polícia Militar, uma pessoa foi presa e não houve feridos.
    A confusão começou a cerca de 50 minutos do início da partida, numa avenida que dá acesso ao estádio. Duas facções da Máfia Azul entraram em choque e a Polícia Militar precisou usar bombas de efeito moral e gás de pimenta para controlar o confronto. Carros da imprensa foram danificados.
    “Pelo que tudo indica, há uma divisão interna na Máfia Azul, e eles resolveram vir pra campo para, através da briga, resolver problemas internos. Dentro de campo está tudo tranquilo, o problema foi do lado de fora, em função de questões internas de uma torcida organizada”, disse o tenente coronel Emídio, responsável pelo policiamento do estádio, à Rádio Itatiaia.
    Ainda segundo o tenente coronel Emídio, apenas uma das facções da Máfia Azul envolvidas na briga teve acesso ao Estádio Castor Cifuentes. 09/02/2009 – 15h57
    Fonte: Globosp.com

    TORCIDA DO CRUZEIRO SE ENVOLVE EM PANCADARIA NO PALESTRA ITÁLIA
    Globo – São Paulo

    A torcida do Cruzeiro se envolveu em uma grande briga na partida desse domingo, contra
    o Palmeiras, no Palestra Itália, em São Paulo. O coordenador operacional do segundo batalhão de polícia de choque da Polícia Militar de São Paulo, Major Rodrigues, disse que a confusão começou no intervalo, quando torcedores do Palmeiras, que estavam próximos à área destinada à torcida do Cruzeiro, desceram da arquibancada para ir aos banheiros, que ficam em um fosso logo abaixo, quase em frente de onde estavam os cruzeirenses.
    Com sinais e gritos, os torcedores dos dois times começaram a trocar provocações. Então, um líder de uma torcida organizada do Palmeiras começou a inflamar os outros integrantes a irem até a divisória entre as torcidas.
    Com isso, investiram para cima da tropa, não na arquibancada, mas neste fosso, onde ficam os banheiros. A tropa revidou e, segundo o major, só não houve confronto entre as torcidas porque o policiamento ali estava reforçado.
    Enquanto a PM e os palmeirenses estavam em confronto neste fosso, torcedores do Cruzeiro ficaram na parte de baixo da arquibancada, muito próximos dos palmeirenses e dos policiais. Durante o confronto com os palmeirenses, outros policiais foram conversar com a liderança da torcida do Cruzeiro, para que não descessem para a parte de baixo da arquibancada, para evitar o conflito com a torcida adversária.
    Neste momento, os cruzeirenses teriam começado a insultar os militares. A própria liderança da torcida cruzeirense teria pedido calma aos outros torcedores, mas estes arremessaram instrumentos musicais nos policiais.
    Sem acordo, os policiais retiraram os cruzeirenses da parte de baixo da arquibancada, para cessar as provocações com os palmeirenses. Ainda segundo o major, quando um torcedor do Cruzeiro, não identificado, foi encurralado, o policial militar, que também não foi identificado, se excedeu.
    Logo após o ocorrido, o PM flagrado nas imagens foi retirado do local, ouvido pelo comando e sua conduta está sendo objetivo de investigação pela corporação. Catorze torcedores foram encaminhados para o 23º distrito policial de São Paulo, sendo oito de um time e seis de outro.
    No local, foi lavrado boletim de ocorrência por lesão corporal e desobediência. Eles foram ouvidos até às 3h da manhã e, posteriormente, liberados.
    Seis torcedores foram encaminhados para o pronto-socorro do estádio, medicados e liberados. O major não soube informar se o torcedor que foi agredido estava entre estes seis atendidos.
    Dois policiais, que foram atingidos por instrumentos musicais atirados pela torcida do Cruzeiro, também ficaram feridos, mas sem gravidade.

    BRIGA ENTRE TORCIDAS DE SANTOS E CRUZEIRO CAUSA MEDO E CORRERIA NA VILA BELMIRO

    Polícia Militar enfrentou membros das organizadas em batalha nas ruas de Santos
    FONTE: Da Gazeta Press

    A partida entre Santos e Cruzeiro acabou com a vitória por 2 a 1 para o time de Belo Horizonte e cenas lamentáveis fora do estádio Vila Belmiro, neste domingo (6). Foi só a bola rolar dentro do estádio para que membros das torcidas organizadas Torcida Jovem e Sangue Jovem entrassem em conflito com a Polícia Militar, que tentava controlar a entrada na arena da organizada do time mineiro, Máfia Azul.
    A batalha durou cerca de 30 minutos. O confronto foi intenso e a polícia precisou usar a cavalaria, além de um reforço de contingente, para conseguir dispersar a multidão, que se aglomerava ao redor do estádio e enfrentava os policiais. Até mesmo tiros de borracha, bombas de efeito moral e gás de spray de pimenta foram usados pela PM para que o tumulto não tivesse maiores proporções.
    Mesmo assim, vários carros tiveram seus vidros quebrados e algumas emissoras de televisão tiveram seus veículos bastante danificados por conta da ira dos torcedores, que utilizaram pedaços de pau, cadeiras e bombas caseiras na briga, além de tentarem incendiar carros. Os torcedores que nada tinham a ver com a confusão fugiram correndo e alguns até se abrigaram em seus veículos.
    Dentro de campo, o clima de hostilidade continuou. No intervalo, torcedores santistas, membros da Sangue Jovem e da cruzeirense, Máfia Azul, trocaram bombas na arquibancada do gol de fundo da Vila Belmiro, dando mais trabalho à polícia.

    MAIS UMA OMISSÃO DA IMPRENSA(jornal do alterosa, alterosa esporte e Itatiaia)

    Cerca de 30 torcedores do Brasiliense vieram em ônibus especial para incentivar os jogadores do “jacaré”. Até aí tudo bem, mas com a derrota de três gols no lombo resolveram aprontar na saída do estádio, mas ao tentarem agredir e tomar a faixa da torcida Independente em poder de torcedores do Tigre, foram todos detidos pela Polícia Militar. Então se descobriu que no grupo havia apenas cinco ou seis torcedores do Brasiliense e que todos os demais eram da Máfia Azul de BH, com a justificativa de que são torcidas estavam ali para “apoiar” a torcida “irmã” do Distrito Federal.
    Fonte: http://www.jornalvaledoaco.com.br/novo_site/ler_noticia.php?id=84846

    FATOS ANTES E DEPOIS DO CLÁSSICO 12/02/2011

    Ônibus do Galo cercado por bandidos cruzeirenses e depois apedrejado. Acesse e veja como os jogadores e comissão técnica do Atlético passaram momentos de pânico e terror!
    Fonte: http://www.lancenet.com.br/atletico-mineiro/Policia-Militar-punicao-Fanaticruz-pedrada_0_426557387.html

    A PROTEGIDA E PAPARICADA BANDIDAGEM AZUL AGRIDE MULHER DE IDOSA E CHAMA JOGADOR DO MELEKINHA DE “MACACO”

    A mãe do volante Dudu Pitbull, do América-MG, foi agredida por “ torcedores” BANDIDOS, COVARDES, MARGINAIS do Cruzeiro durante o jogo de volta da semifinal do Campeonato Mineiro, neste domingo. Segundo disse uma testemunha , ESSES dois vagabundos, marginais… Aproximaram-se da senhora, que, se chama Cristina e tem cerca de 60 anos, e um deles a agrediu.
    A mãe do jogador, chorando bastante, deu uma entrevista, relatando os fatos. Segundo a senhora, esses monstros, bandidos, canalhas, covardades….ficaram durante todo o jogo chamando o Dudu Pitibull de MACACO!!!
    http://espn.estadao.com.br/noticia/254255_ESPN

    INTEGRANTE DA GALOCURA É ASSASSINADO A TIROS NO SANTA TEREZA
    Um integrante da torcida organizada Galoucura foi assassinado na madrugada da última sexta-feira no Bairro Santa Tereza. O crime foi após o jogo entre Atlético e Goiás pela Copa do Brasil, que aconteceu na noite de quinta, na Arena Independência. Samir Abner Vieira da Silva, 23, foi morto a tiros na porta na Rua Hermílio Alves.
    Dois homens em uma moto atiraram contra o rapaz, que chegou a ser socorrido para o Hospital João XXIII, onde morreu. Ele foi atingido na cabeça. Os assassinos fugiram e não foram presos. De acordo com o advogado da Galoucura, o homicídio pode estar relacionado com briga entre torcedores, pois testemunhas informaram que o atirador usava uma camisa da Pavilhão Independente, torcida organizada do Cruzeiro.
    O advogado informou que vai exigir uma posição do Ministério Público de Minas Gerais sobre esse crime. O defensor afirma que é necessário tratamento igual para as torcidas, ele alega que os cruzeirenses nesse caso e em outros não foram devidamente tratados como criminosos. “Vou pedir ao Ministério Público tratamento igual aos integrantes de torcidas. A constituição fala que todos são iguais perante a lei”, afirma.

    Miraglia lembrou o crime em que integrantes da Galoucura espancaram até a morte o cruzeirense Otávio Fernandes, em novembro de 2010, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Cinco torcedores atleticanos vão a júri popular respondendo por homicídio qualificado, tentativa de homicídio e formação de quadrilha. O advogado lembrou também um encontro marcado por torcidas rivais no Bairro Padre Eustáquio, Região Noroeste, que terminou em pancadaria. Miraglia reclamou que naquela oportunidade, os cruzeirenses foram apenas penalizados com uma medida educativa sendo obrigados a doar sangue.

    TORCEDORES SE ENVOLVEM EM BRIGA NA SAÍDA DA ARENA INDEPENDÊNCIA

    Integrantes da Máfia Azul, da Pavilhão Independente, e algumas pessoas com camisas do São Paulo participaram de uma briga generalizada após a partida deste sábado.

    Torcedores se envolveram em uma briga generalizada em ruas próximas à Arena Independência, no Bairro Horto, Região Leste de Belo Horizonte. A confusão ocorreu logo depois do jogo Cruzeiro x São Paulo. O time mineiro perdeu de 3 a 2 para o clube paulista.

    Integrantes da Máfia Azul e da Pavilhão Independente, uma torcida dissidente da primeira, se encontraram em uma esquina próxima ao estádio, na Rua Ismênia Tunes. Eles se atacaram com cavaletes e outros objetos. Alguns torcedores com camisas do São Paulo também foram vistos em meio ao tumulto.

    De acordo com a Polícia Militar (PM), a briga continuou no cruzamento da Rua Córrego da Mata com a Avenida Silviano Brandão. Militares que faziam a segurança durante o jogo foram até o local e conseguiram dispersar a briga. De acordo com o 16º Batalhão da PM, não houve presos e ninguém precisou ser hospitalizado.

    http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2012/06/30/interna_gerais,303552/torcedores-se-envolvem-em-briga-na-saida-da-arena-independencia.shtml

    TORCEDORES DO CRUZEIRO BRIGAM NO METRÔ EM BH
    Segundo CBTU, suspeitos depredaram vagões e dependências da estação.
    Polícia informou que 18 pessoas foram detidas.
    Uma briga entre torcidas organizadas do Cruzeiro no metrô em Belo Horizonte acabou com 18 pessoas detidas na noite deste domingo (5), de acordo com a Polícia Militar (PM). Funcionários da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informaram que, durante a confusão, alguns vagões do metrô e as dependências da estação no bairro Santa Tereza, na Região Leste da capital mineira, foram depredados.
    Ainda segundo a PM, os suspeitos são integrantes de torcidas organizadas rivais com sede em Belo Horizonte. Todos os detidos foram ouvidos e, depois, liberados.
    Às 11h desta segunda-feira (6), a CBTU informou por meio de nota que, além da sujeira deixada pelos vândalos no local, um trem foi danificado e foi necessária a retirada do vidro de uma das portas. Na estação, foram arrancadas uma placa de publicidade, três extintores, duas lixeiras, uma caixa de correio e um telefone público. A companhia esclareceu que tomou as medidas necessárias para conter o tumulto, “incluindo o acionamento de batalhão de choque da PM”.

    A companhia alegou, ainda, que “vem adotando diferentes medidas para coibir ações como estas” e informa que dobrou os efetivos de segurança dentro dos trens com o intuito de garantir a segurança dos usuários em dias de jogos no Estádio Independência. “Empenhada em evitar novos atos de vandalismo, a CBTU-METRÔ BH vem estreitando as conversas com o Comando da Polícia Militar na Capital, com vistas a promover ações conjuntas e implementar medidas restritivas de maior alcance nas 19 estações”, completou.
    http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2012/08/torcedores-do-cruzeiro-brigam-no-metro-em-belo-horizonte-diz-pm.html

    PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR!
    Cadê as autoridades de Minas Gerais: MP, PM, Polícia Cívil, PF etc..???
    Cadê a omissa imprensa azul que gosta mesmo é de monitorar torcedores do Galo, ESPECIALMENTE integrantes da Galocura?
    Porque a imprensa azul está CALADA E NÃO COMENTAM SOBRE TODOS ESSES CRIMES e NÃO COBRA DAS AUTORIDADES INVESTIGAÇÕES E PUNIÇÕES AOS BANDIDOS, ASSASSINOS ???
    Porque que até agora ninguém fez nada?
    Porque atá hoje ninguém foi preso ?
    Porque que NÃO apareceu imagens dos agressores da mãe do Dudu?
    CADEIA NELES!
    Tem que caçar todos esses VAGABUNDOS, CRIMINOSOS, BANDIDOS ETC.. E COLOCÁ-LOS NA CADEIA.
    ISSO NÃO VAI ACONTECER, PORQUE A BANDIDAGEM AZUL É INTOCÁVEL E XODOZINHA DA IMPRENSA AZUL, além de ser temida por todos.
    ACORDA JUSTIÇA (MP, PM, PF !!!)
    Se fossem torcedores do Galo, Não tenham dúvidas de que eles seriam descobertos de qualquer forma, condenados e presos!

  2. Amigos, quero trazer o comentário de um torcedor do flamengo, publicada na coluna do Cosme Rímoli no site r7, que participou do início da fraude chamada flamengo. Ele relata com detalhes como foi a tramoia:
    “João da Siva – 09/08/2012 – 01h33

    Sou Flamengo, esta é a nossa realidade…os mais jovens não sabem e os mais velhos escondem dos seus filhos, a verdadeira farsa que é o Flamengo e Rede Globo.

    Globo+Governo militar+Manipulação = mito Flamengo

    A “imensa nação rubro-negra”, umas das maiores manipulações de massa já vistas na História do Brasil. Todos os fatos têm provas. É preciso alertar as pessoas do “mito” do qual são vítimas pelas garras da Rede Globo.

    Durante a ditadura, os militares viram a necessidade de criar massas alienadas para serem melhor manipuladas pela Rede Globo, TV recém-criada pelo governo, e seus jornais oficiais.

    Como o futebol já era uma grande paixão dos brasileiros, a idéia foi engrandecer determinados clubes de futebol para que fossem queridos pelas massas menos cultas (o “povão”) não só do RJ e de SP mas de todo o resto do país, de forma que a alienação fosse disseminada de forma mais efetiva. Roberto Marinho, dono da emissora e fanático torcedor rubro-negro, não teve dúvidas de que clube seria esse.

    Daí nasceu a construção do mito da “imensa nação” rubro-negra, com a Globo mitificando suas cores, jogadores e torcedores. Em SP, o clube escolhido foi o da “periferia”, o Corinthians.

    Começou uma das maiores enganações e manipulações da história do Brasil:

    Walter Clark, que comandou a Rede Globo por 12 anos (de 65 a 77), saiu de lá para ser vice-presidente do Flamengo em 78. De cada três jogos transmitidos pela emissora, um era do Flamengo. Câmeras eram obrigados a mostrar a todo momento a “festa” da ainda pequena torcida, que começou a se multiplicar.
    Armando Nogueira, que comandou por 25 anos o jornalismo da emissora, contou no sportv que os narradores da Globo eram obrigados a gritar mais alto nos gols do Flamengo, a diminuir nos de outros clubes. Os comentaristas eram advertidos a esconder os defeitos e aumentar as qualidades dos jogadores. Assim surgiu p.ex. o mito “Zico”, que virou lenda só no Flamengo mas enterrou o Brasil em 4 Copas (3 como jogador e 1 como coordenador, ao vetar a ida de Romário para a Copa de 98 por inveja de Romário ter ganho praticamente sozinho a Copa anterior, coisa que Zico jamais conseguiu).

    Os programas esportivos da Globo minimizam as torcidas, as vitórias e conquistas de Fluminense, Vasco, Botafogo e outros clubes, e maximizam tudo que é do Flamengo (e do Corinthians). Os narradores e comentaristas continuam com suas missões, porém hoje com a Internet fica mais difícil enganar as pessoas mais inteligentes. De qualquer forma, o estrago foi feito, os dois times têm as maiores torcidas do país e a massa continua sendo manipulada facilmente… como sempre.

    A história do Flamengo é intimamente relacionada à da
    toda poderosa Globo.

    Como conta Mário de Almeida em seu Blog “Coletiva.net”, a alavancada do Flamengo em termos nacionais teve início nos gabinetes da Rede Globo entre os poderosos e influentes diretores da empresa, que queriam a todo custo tornar o clube o “maior” do País:

    O ano era o de 1977, até então tínhamos todos os outros grandes clubes cariocas campeões a nível nacional:
    1968 – Taça Brasil – Botafogo-RJ; 1970 – Torneio Roberto Gomes Pedrosa – Fluminense e 1974 – Campeonato Brasileiro – Vasco. Cadê o Flamengo? Ele tinha apenas um Torneio Rio-São Paulo de 1961. Era preciso fazer alguma coisa…

    No final de 1977, na Rede Globo, sala de Otto Lara Resende, nascia a Frente Ampla pelo Flamengo, para a qual Magaldi, um de seus inventores, convocou este também rubro-negro. Na partilha das tarefas, coube-me a propaganda e a edição de um periódico para preparar uma futura ação eleitoral.

    Nosso companheiro de Globo era o panamenho Homero Icaza Sanches, chefe de pesquisas da Rede e conhecido no meio, pela sua competência, como o “Bruxo”. Magaldi pediu ao Homero uma pesquisa junto ao colégio eleitoral do CRF – 3 mil associados – e havia, pela ordem, duas preocupações prioritárias:

    1. a situação geral, financeira e administrativa;
    2. o futebol.

    Escolhido Márcio Braga como nosso candidato, criei e gravei um comercial com ele, abordando a preocupação maior. Carlinhos Niemeyer, o empresário do Canal 100, jornal cinematográfico exclusivo sobre futebol, foi o escolhido para a mensagem da segunda preocupação.
    A pesquisa revelou um dado fundamental, pois se mil ou mais eleitores comparecessem, a FAF seria vencedora. Daí ninguém entender como um universo de apenas 3 mil pessoas podia envolver comerciais de TV e outdoors espalhados pela cidade. O case da campanha, que Roberto Marinho, também do time, fingia não ver e tinha apoio absoluto do diretor-geral Walter Clark, ganhou, a posteriori, muitas páginas da revista Propaganda. De repente, ser eleitor do Flamengo era um privilégio e votar uma ação irrecusável.

    Eram 11 horas da manhã quando, no dia das eleições, Walter Clark e Magaldi, junto ao meu carro, estacionado na sede do Morro da Viúva, aguardavam as notícias. Cheguei e disse: “Podemos iniciar as comemorações, o milésimo eleitor, 87 anos, acaba de votar”. E, abrindo a porta do carro, indaguei:

    – Champanhe, uísque ou vodca?

    A vitória, acachapante, foi comemorada até de madrugada numa churrascaria da Zona Sul.

    Ano seguinte, o Flamengo, com Walter Clark como vice de futebol, era campeão estadual com vitória nos dois turnos. Completou-se, depois, um tri- estadual, um campeonato brasileiro, um carioca, a Libertadores da América e, em 1981, no Japão, o Flamengo sagrava-se campeão

    Walter Clark era considerado um gênio, o playboy que criou a Globo… foi por muito tempo (1965-77) um dos principais executivos da Rede Globo, responsável pela criação do “Padrão Globo de Qualidade”(sic). Sobre os tempos de dirigente, uma passagem de sua autobiografia diz tudo: “Não dirigi apenas o Flamengo, mas lutei para ser campeão, para formar um time invencível, para criar uma lenda no futebol brasileiro.”

    Numa parte do livro, Walter Clark fala da sua experiência no mundo da bola. Em determinado trecho diz: “Se os senhores pensam que não se compra mais árbitros de futebol, os senhores estão redondamente enganados…”.
    Pois é! E aí está gente como o ex-árbitro Edilson Pereira de Carvalho, Alberto Dualib, afastado da presidência do Corinthians, e tantos outros, a confirmar o que dizia o Walter Clark em 1991.
    Ele que deve ter comprado muito apitador naqueles tempos de Flamengo também.

    E o tal Carlinhos Niemeyer, era filho do mentor do Canal 100, ambos rubro-negros fanáticos, e que beneficiaram tanto nas filmagens o clube da Gávea…

    Aposto que muitos que não tem costume de ler sobre a história e os bastidores da imprensa “marrom” se surpreenderão com tais textos.

    Engana-se quem pensa que estes temas não tem nada a ver com pobreza, política e o estado de coisas em que se encontra nossa população brasileira.
    Basta você verificar porque tantos políticos e estrangeiros em visita ao país, aparecem com a camisa do URUBU nas mãos… Isto chama-se POPULISMO!
    Estoura o escândalo das papeletas amarelas no Flamengo, em 1986
    Em 1986, 300 mil cruzados (moeda da época) foram parar na conta de um dirigente. Alegação era de que o dinheiro ia ser usado em operações pouco éticas para facilitar o título do Flamengo

    Isto reforça a tese de que o mito flamengo foi criado na década de 80 com muita força e ajuda de poderosos… Esse escândalo veio à tona, mas muitos outros podem ter sido muito bem acobertados. Com ajuda do maior meio de comunicação deste país e no final do governo militar, em que a justiça muitas vezes não passava de fantoche nas mãos de poderosos (não muito diferente de hoje em dia), não é de se espantar que escândalos desta natureza fossem facilmente escondidos à favor do time da Gávea.”
    É importante salientar que ainda existem pessoas que ficam vechadas ao serem confrontadas a tamanho mar de lama.
    Não quero que o meu Galo vença pisando na cabeça da honestidade, quero que ele vença por seus próprios méritos, com toda a honestidade e lisura.
    Abraços a todos!

    1. Em 2009, fui a muitos jogos do Galo. Quando a Globo percebeu que era possível o Flamengo ganhar o Campeonato Brasileiro, o Sportv por exemplo, estava transmitindo ao vivo treinos do Flamengo já na 34ª rodada, e olha que o Flamengo foi campeão na última, depois de começar perdendo para o Grêmio, resultado que estava dando o título ao Internacional, o Grêmio relaxou lamentavelmente. Quanto ridículo é esse campeonato brasileiro.

  3. Ô Cabrito! Excelente texto!

    Sou mais novo que você! Mas compartilho do mesmo sentimento. Nao somente eu, mas milhões de atleticanos e atleticanas!

    Sou de Uberlândia, onde a maioria de torcidas é de times de RJ e SP. Meu pai, como bom mineiro, é atleticano, e por DNA também nasci assim. Atleticano, SOFREDOR. Sofredor porque todo amor tem sofrimento. Mas também tem alegrias.MUITAS ALEGRIAS!

    A primeira vez no Mineirão é como dormir com a primeira namorada. INESQUECÍVEL!

    Hoje, exilado que sou em Bragança Paulista, o meu amor pelo Galo exala. Contagia até os meus amigos Palmeirenses, Santistas, Sãopaulinos e corinthianos. Faço eles torcerem pelo Galo quando assistem jogos comigo.

    Falo do Galo como se fosse uma pessoa da família. Eu posso falar mal, mas os outros de fora da família, eu nao aceito.

    Enfim, sempre falo que o Atlético existe nao por causa dos seus títulos, que são muitos, ou dos seus cartolas, que acabaram com a nossa reputação na década de 2000, mas sim por causa da torcida. SOMENTE A TORCIDA DO GALO PODE LEVAR ESSE TIME AO TÍTULO, E É ISSO QUE ELA TÁ FAZENDO, ASSIM COMO EM 2006, QUANDO RESSURGIMOS DAS CINZAS!

    “UMA VEZ ATÉ MORRER”

Os comentários estão desativados.