NÚMEROS DO MINEIRÃO SÃO ESTARRECEDORES!

Paulo Gustavo Blanc, analista de sistemas, se debruçou sobre os números (valores) do Mineirão e, neste texto, esclarece ao público as condições em que o Mineirão foi entregue à iniciativa privada, em detrimento de uma administração própria, gerenciada pela ADEMG.

Vamos ao que o Paulo Blanc tem a dizer:

Tenho acompanhado pela internet as questões da PPP do Mineirão e este assunto tem chamado muito minha atenção por causa do impacto financeiro que pode ter no Galo.

Fiz uma análise do anexo V do Edital, que fala sobre a remuneração da concessionária e as compartilho agora com o público.

A forma de cálculo da remuneração é bem complicada, envolve uma série de situações e indicadores, mas basicamente podemos dizer o seguinte:

Há duas remunerações que a Minas Arena tem direito:

1) São 120 parcelas que o governo do Estado repassará à Minas Arena para pagar o empréstimo de 400 e tantos milhões feito com o aval do governo do Estado. Estas parcelas são reajustadas anualmente pela TJLP + 2,3%.

2) Há também uma garantia de receita líquida de R$ 3,7 milhões por mês pelo tempo da concessão, ou seja, 25 anos, que serão corrigidas anualmente pela inflação. A exigência para garantir este mínimo é que a Minas Arena atenda requisitos mínimos de desempenho, como entregar a obra no prazo e manter o estádio em condições adequadas de uso, ou seja iluminação, higiene, sistema hidráulico, etc. Se a Minas Arena cumprir os requisitos de desempenho, a única hipótese de sua receita líquida ficar abaixo de R$ 3,7 milhões é se a operação do Mineirão der prejuízo. Neste caso, a Minas Arena continua recebendo os R$ 3,7 milhões do governo do Estado, mas obviamente tem que descontar o valor de prejuízo para chegar à sua receita líquida.

Considerando que é pouco provável o prejuízo da Minas Arena, já que os gastos de uso do estádio são cobrados diretamente da renda (gerada pelos clubes), vamos simplificar e entender que a sua garantia mínima é de R$ 3,7 milhões por mês.

Então, este valor é para remunerar o investimento que a Minas Arena fez na obra (estimado em uns R$ 200 e poucos milhões, mas ninguém sabe com certeza quanto disso foi realmente gasto na obra) e também para remunerar os serviços relevantes que a concessionária prestará ao povo do estado de Minas Gerais durante o período de concessão ao manter um dos mais modernos estádios do mundo em plenas condições de uso (favor perceber a ironia).

Em números, esta segunda remuneração representa 3,7 x 12 meses x 25 anos = R$ 1,110 bilhão de renda garantida. Se considerarmos que o investimento da Minas Arena foi de R$ 250 milhões, chegamos a uma taxa de juros mensal de 1,94% ao mês ou 19% ao ano. Pode até não parecer muito para alguns, mas quando lembramos que estamos vivendo uma situação no país de taxa de juros real abaixo de 2% ao ano, um rendimento mínimo garantido de 19%aa é fantástico.

Uma coisa que não ficou clara para mim é quanto foi a parcela de investimento da Minas Arena fora os R$ 400 milhões emprestados pelo BNDES. Pelo que entendi, ninguém sabe exatamente quanto foi, já que os R$ 200 e poucos milhões foram baseados em uma estimativa do governo de quanto custaria toda a obra menos o empréstimo do BNDES. E também não consegui achar em lugar nenhum informação se a Minas Arena fez algum empréstimo com BNDES ou com qualquer outro banco para bancar esta parte. Algum leitor tem alguma informação clara sobre isso?

Bom, os dados acima são de estarrecer. Eu não consigo entender como a Minas Arena foi o único consórcio que apresentou proposta para um negócio tão rentável.

PS: fiz minhas análises com base nos documentos no link http://www.compras.mg.gov.br/licitacoes-em-destaque/233-ppp-mineirao. Quem se interessar em checar as informações, é só acessá-lo.

Paulo Blanc

Nota do blogueiro: CPI DO MINEIRÃO JÁ!

PARA SEGUIR O AUTOR DO ARTIGO NO TWITTER, clique aqui.

SIGA ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER clicando aqui

Anúncios

8 comentários sobre “NÚMEROS DO MINEIRÃO SÃO ESTARRECEDORES!

  1. ► Ôooooowww … Paulo ! vamos colocar a coleira no elefante e ver quem leva quem para passear … pqp !!!! não é preciso ser intelectual para ver que com estes números, o Estado [povo mineiro , deixando cor de camisas de lado ,claro ! ] está sendo trollado [ para ñ dizer outro termo ] sem o menor pudor . A concessionária entra com a ‘trolla’e o estado com a bunda [ desculpe o termo chulo], simples assim. Temos muitos exemplos de desperdício de dinheiro público neste brasil varonl , mas p/ ter um igual á este ???? terão de se superar e muiiiiiito … lesivo aos cofres públicos até á tampa . Por onde anda o MP ? , ah já sei … abc e #GaloSempre

  2. Roberto,

    Paulo Gustavo Blanc fez um explanação que, a maioria dos brasileiros, tão adaptados à aceitar tudo, não terá interesse em aprofundar nos detalhes da “trollada” que entra, sim, ferindo a próstata e útero desta gente plim..plim.

    Quem é Minas Arena?
    Quem estão por trás deste consórcio?
    Quais os laranjas?
    E a Globo não leva nada?
    E os políticos da Globo, ninguém entrou nesta boquinha?
    A Minas Arena é uma filha da puta que surgiu do nada, em uma noite de luxúria?
    Nomes aos bois ou as vacas?
    Mas, o carnaval está chegando e muita gente cagando e andando para os que, como Roberto C. Filho o Paulo Gustavo Blanc e tantos outros que lutam para esclarecer à uma gente q “O crack é uma mistura de novelas em pó), fumados em canais retransmissoras da Globo em poder dos políticos do golpe de 64 improvisados nas mãos dos herdeiros (tipo ACM Neto ou outro pelo Brasil a fora). É mais barato que a cocaína pois, tem dentro de casa sob o controle remoto, para toda família do bebezinho ao vovô. O vício tem efeito duradouro, desde 64 até…… quando? Em capítulos, acaba sendo usado em maiores quantidades, o que torna seu consumo passa e avassaldor, quando entra miniséries, tipo “MENSALÃO” com Ministro e tudo, como ator principal.
    Estimulante seis vezes mais potente que a cocaína, a Globo provoca dependência, debilidade mental e leva à miséria por sua ação fulminante sobre o sistema o discernimento do seu espectador zumbi.
    Ela e a dona do JOGO, da REGRA CLARA, é ferramenta de perseguição, canibalização de políticos que não reza em sua cartilha e, finalmente, das desordens sociais deste Brasil.

    Liberdade, ou Globo!

    @cabrito2606

    1. ► Carlos ! mudemos então a célere frase do Pitágoras :_ […] ‘ Educai as crianças – no presente – , para – que no futuro – NÃO sejam punidas por se tornarem um ‘puliticus’ corruptus […] ‘ ÔoOoOooo … turminha ‘ jeitosa’ essa , meu ! + credincuruis treis veisssss ,bro !!!
      abc e #GaloSempre

  3. Opa! Mandou bem em camarada cabrito…

    Eles não tem vergonha de inventar uma sangria destas na cara dura com dinheiro publico pois eles são… governo, prefeitura, senado, maioria na camara e na assêmbleia, empresariado mineiro (FIEMG), comerciantes (CDL)…
    Liderados pelo senador barra-pesada tucanalha ninguêm pode com eles e o pior de tudo é que, quando o MP resolve investigar, o estrago ja foi feito e no frigir dos ovos ainda absolve a canalha toda, diferente do “mensalão”…
    Não tenho muito a manha dos calculos mas quanto mais se vê deste assunto mais a coisa fica feia…
    Isto não é desperdicio de dinheiro publico é quase um desvio bilionário legal de verbas e estão fazendo caixa para as eleições 2014.

    CPI DO MINEIRÃO JÁ!!!

    Galo sempre!

  4. Parabéns Roberto, Você é o único que tem procurado debater e mostrar fatos sobre as irergularidades MinasArena.
    Sobre o clássico , vamos pedir a todos os torcedores do galão da massa para gritar: assassino…assassino…assassino toda vez que a galinha ciscadeira Anselmo ramon pegar na bola!!!
    Vamos espalhar para todos os blogs e para Galoucura!

  5. Sou contra qualquer tipo de violência. Na minha opinião todos que participaram daquela briga que culminou com a morte de uma pessoa tem que serem jugados e condenados. O que não pode é a justiça e a imprenssa jogar tudo que acontece nas costas de atleticanos. Quando falam de crimes citam bandidos torcedores do ATLÉTICO. Do lado oposto ???
    Vejam isso e tirem suas conclusões:

  6. E, depois do clássico de domingo, finalmente veio a gota d´água, depois que o departamento financeiro apresentou a conta para o Dr. Gilvan: de uma renda de R$ 1.774.410,00 a Minas Arena faturou, juntando as outras receitas a que ela tem direito, em torno de R$ 2 milhões, e o Cruzeiro, dono de 90% do público que entrou com esta grana, menos da metade, já que banca 70% das despesas do jogo, tem descontados 22% da sua parte na arrecadação e ainda paga os 10% da FMF, 5% de ISS da prefeitura.

Os comentários estão desativados.