OS PROTESTOS DOS SONHOS MAIS LINDOS

brasil-protesto-onibus-passe-livre-20130613-08-size-598

Sem lideranças e sem a participação de partidos funestos, a revolta contra a inflação e a corrupção brotou na alma do brasileiro e explodiu nas ruas.

O mesmo brasileiro que era tachado pelo mundo de passivo e acomodado acordou, forçado pelos desmandos dos vários governos, inclusive o federal. O grito de BASTA chegou para ficar.

O que está acontecendo hoje no Brasil é um sonho do qual eu não quero acordar. É o típico movimento que vem do coração de cada um e não de comandos partidários. Portanto, não traz o veneno peçonhento do partidarismo doentio que idolatra e protege o partido em detrimento do país.

Nenhum partido representa os brasileiros nas ruas. Em todas as manifestações, as pouquíssimas bandeiras que surgiram foram vaiadas, o que escancarou um claro distanciamento de políticos sem credibilidade. Era como se dissessem: afastem-se de nós, pois vocês mancharão a pureza dos nossos protestos!

O que move essa multidão não é o simples aumento de vinte centavos na passagem de ônibus.

Talvez tenha sido o estopim que acendeu o pavio, mas o pavio e o estopim já estavam lá esperando.

O que revolta e age como um gatilho detonador é saber que a Copa foi superfaturada, é saber que diariamente o erário público é assaltado por políticos safados, é saber que a inflação, que estava dominada, voltou com força por pura incompetência.

Além disso, a impunidade que grassa no Congresso Nacional sob o comando de um corrupto chamado Renan Calheiros. Comprovadamente corrupto!

É o absurdo de saber que um preso por roubo e assassinato ganha mais do que um professor!

Um movimento espontâneo contra TODOS os partidos e não só PT ou PSDB ou qualquer outro. Pois esses partidos não nos representam! O povo não acredita mais neles, já decepcionaram demais. Um governante demora meses para conceder um pequeno reajuste aos professores, mas dobra o próprio salário em 24 horas.

Você, político, que pensa em aproveitar a galera nas ruas para ganhar votos nas próximas eleições, esqueça. Você será pisado como se pisa uma laranja podre.

O que vemos nas ruas é um povo politizado e acima de todos os partidos, embora já apareçam reações de políticos tentando distorcer os fatos e enganar, como sempre fizeram, o povo. Talvez, desta vez, não consigam seu intento.

Talvez o Brasil esteja mesmo mudando para melhor, mas, assim como marido traído, o político profissional deste país será o último a saber.

E talvez seja tarde demais! Utopia? Não, eu ainda acredito que a voz do povo é a voz de Deus.

 SIGA ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER clicando aqui

5 comentários em “OS PROTESTOS DOS SONHOS MAIS LINDOS

  1. Roberto.
    Já vi e vivi outras manifestações populares, e todas começaram puras e depois foram maculadas. Torço para que esta seja diferente. Porque já não sou mais eu quem sai as ruas. São meus filhos. Desejo um mundo melhor para eles, e para os futuros filhos deles. Tomara. Mas, sinceramente, temo que os aproveitadores já estejam traçando suas táticas. A mais comum dele vestir-se de cordeirinho. Oxalá descubram esse lobo dissimulado assim que ele aparecer no meio deles.

    Veremos.

  2. Acompanhei as manifestações do dia 13 em São Paulo por sorte.
    Ontem, por opção, fui ao centro de Belo Horizonte, pois queria para testar meus olhos, ouvidos, mente e coração.
    O que vi? Um povo inconformado com anos de abuso, distancia e descaso de seus representantes no poder público. Os Mineiros e Paulistanos com quem conversei não estavam putos só com os preços de passagens de ônibus, dos litros de gasolina ou dos KW de energia. Estavam realmente cansados de fazer apostas lotéricas nas urnas a cada 2 anos, ouvindo partidos em campanha com discursos que parecem diferentes, mas possuem a mesma retórica furada em seu âmago.
    Senhoras, moleques, velhos, mulheres, cidadãos de várias classes e idades vaiavam qualquer manifestação partidária ou tentativa de palanque.
    UM DESENCANTO GERAL.
    O que senti? Um pouco de orgulho e a esperança de que os que hoje estão nas ruas não foram manipulados por fontes antigas de informação e controle, emissora de TV, igreja, centro, direita, esquerda, ou qualquer outro fantasma político extinto desde a queda do muro de Berlim.
    Todos os políticos que tentaram ganhar alguma notoriedade com os protestos até agora foram rechaçados pelo público. Políticos profissionais que hoje dominam a arte de falar com eleitores, mas precisarão aprender a dialogar com cidadãos, o que não é fácil.
    Há um mês os caras dormiam tranquilos, pois sabiam como operar engrenagens de estado para se manter no poder. Hoje dormem intranquilos e quando sonham, acordam suados e assustados.

    São os protestos dos sonhos de uns e dos pesadelos de outros.

  3. Muito bom, Roberto! Não podemos deixar o ânimo da galera baixar. Tudo tem seu propósito (até a violência, embora eu não concorde com ela). Muda, Brasil!!!

  4. – Era um futebol diferente. Depois que o futebol se tornou empresa, tudo mudou. Era um futebol mais de prazer. As pessoas, com todo o sofrimento que tinham no Brasil, sabiam que o momento ideal para extravasar era no futebol. O pessoal vivia mais o futebol, incentivava mais. O povo era mais feliz, mais alegre, usava mais a camisa. O momento de tumulto e essas passeatas que estão sendo feitas pelas pessoas com todo o direito talvez tenham desmotivado o povo brasileiro com o futebol.

  5. A velocidade é assustadora e ao mesmo tempo fascinante. As “Rebeliões de Junho” – um dia talvez elas sejam chamadas assim – mudam de significado dia após dia. O que apenas reforça a tese de que o ganhador não está definido – de saída. A história se escreve agora nas ruas, mais do que nas redes ou nos gabinetes. E isso me faz lembrar o que dizia um velho professor marxista, com quem eu tinha até várias discordâncias: “os líderes políticos fazem muitos discursos, os intelectuais escrevem demais, mas a História se escreve mesmo é na ponta das baionetas” (Edgard Carone).

Os comentários estão desativados.