Arquivo da tag: BWA

SACANAGEM TEM LIMITES!

Um torcedor postou fotos no twitter de ingressos comprados (ou doados) para o jogo contra o São Paulo no dia 08.05.2013. Bacana demais, não fosse pelo fato de que a venda só começará amanhã às 10:00 hs.

É revoltante ver ingressos nas mãos de pessoas quando as filas na sede já dobram esquinas. Filas estas que irão passar a noite ao relento, no frio da temperatura e no frio da sensibilidade humana.

Enquanto os pobres estão no limbo, os ricos escracham.  Por arrogância ou por vaidade, postam a foto dos ingressos nas redes sociais, como se dissessem: enquanto vocês penam na fila, eu já tenho os ingressos! OLHEM AQUI!

ingressos

A diretoria do Galo está a par disso? A BWA compactua com esse disparate? Ou ninguém, nessa hora, não sabe de nada a exemplo do que vemos no governo?

Não acuso a diretoria do Galo nesse momento. São tantas as mãos que controlam as emissões de ingressos que impossibilita a nós, que estamos de fora, acusar com provas.

Mas, se têm o nome do garoto que denunciou e postou as provas, cravo que até um mero iniciante resolveria esse caso com um pé nas costas. Só não esclarecem se não quiserem!

Sacanagem com a torcida do Galo tem limites!

SIGA ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER clicando aqui

Anúncios

UMA CULTURA ESPORTIVA PROIBIDA!

Em sua vida profissional, não se meta a fazer aquilo que não entende bulhufas, senão você se transformará numa cópia fiel dos construtores do Independência, dos que comandam a Secopa e dos empresários da BWA.

Dos construtores do Independência porque estes, além de colocarem grades que deixaram 6.000 pessoas a verem navios ao invés do jogo, ainda criaram com a sua absurda incompetência, pontos cegos em outros locais do estádio que impedem de ver um jogador batendo escanteio. Ou seja, aumentam extorsivamente os preços dos ingressos, mas não oferecem um serviço minimamente à altura.

Da Secopa porque só vivem tentando esconder o sol com a peneira, como se fazer política fosse sinônimo de mentir a todo momento. Não é, mas talvez no Brasil o termo correto seja esse mesmo, uma vez que político é a classe mais desacreditada pela população. Política e mentira se fundiram numa só palavra.

Além de não resolver os problemas estruturais e de visibilidade do Independência, a Secopa ainda se mete nas coisas do estádio, como na negociação do aluguel com o cruzeiro e agora, em conjunto com a BWA, na proibição de entrada de faixas e bandeiras.

E o motivo alegado para essa proibição é justamente aquele que não foram capazes de oferecer ao público pagante: VISIBILIDADE!!! Pasmem os senhores!

Alegam que as bandeiras atrapalham a visibilidade. E os pontos do estádio (além daqueles 6.000 lugares), que mesmo sem bandeira sem nada, o torcedor tem de se contorcer que nem um macaco para ver alguma coisa? Escondem o rabo para mexerem no rabo alheio.

Sorrateiramente, tentam transferir para a torcida a clara responsabilidade pelos erros crassos _ e vexamosos _ cometidos na reforma do estádio. E desta forma, criam condições para a colocação de painéis publicitários. Ok, sou totalmente a favor de se faturar com os painéis, mas não à custa do fim de uma cultura esportiva. Porque cargas dágua não pensaram nisso antes?

Só espero que, na elitização obscena que estão tentando impor à torcida atleticana, a Massa não tenha que frequentar o estádio vestida a rigor, com ternos, gravatas e afins. E que os palavrões não sejam punidos com prisão; e que a comemoração de um gol não seja restrita a palmas contidas e sorrisos amarelos vigiados por câmeras.

Senhores políticos e empresários da BWA, nós somos a torcida do povão e disseminada nas favelas de Belo Horizonte. Nós somos, orgulhosamente, a cachorrada! Mas vocês não nos conhecem porque são estranhos ao meio. E como tal, não têm a mínima noção dos disparates que cometem!

SIGA ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER clicando aqui

Abaixo, a nota de repúdio da Força Jovem Atleticana:

INDEPENDÊNCIA: POÇO INESGOTÁVEL DE VEXAMES!

Não bastassem os pontos cegos no Independência, que transformarão, como num passe de mágica, 6.000 pessoas em cegos de bengalinha (no chamado espaço Ray Charles) e os constantes atrasos nas obras _ com a clara omissão do Estado _ que protelam a liberação do estádio pela quarta vez consecutiva, agora veio a público a cereja do bolo da incompetência:

NÃO CONSTRUÍRAM BILHETERIAS CAPAZES DE ATENDER O TORCEDOR DE FORMA ORGANIZADA E FLUENTE!

Você, caro leitor, que, como eu, duvidava que algo pudesse superar os erros cometidos anteriormente, não duvide mais. Em se tratando de incapacidade explícita, nada nem ninguém suplantará os “artífices” que reformaram o Independência! Se existisse um prêmio Nobel da incompetência, eles o ganhariam com louvor.

Fiquei pasmo ao ler a notícia do jornal O Tempo, que transcrevo a seguir:

“Em fase final de construção, o Independência apresenta um problema relacionado à venda de ingressos. Ao contrário do que acontece na maioria dos palcos de qualquer tipo de evento do mundo, os guichês das bilheterias não estão voltados para a parte externa do estádio.

“O espaço em que se encontram as janelas para a compra dos bilhetes está dentro da arena, e é o mesmo ambiente em que as pessoas estarão passando pelas catracas. A proximidade vai gerar um grande acúmulo de público no local, comprometendo a segurança.

O TEMPO apurou que moradores da região têm sido consultados por representantes da BWA sobre a possibilidade de utilização das suas moradias como pontos de venda de tickets. A intenção é alugar casas próximas ao estádio – de preferência, nas ruas Pitangui e Ismênia Tunes, onde estão os portões do estádio – para que sejam usadas como bilheteria.

Minas Gerais está se transformando em chacota nacional por causa de um punhado de amadores. E alugar casas próximas ao estádio para vender ingressos é sacramentar atestado de ignorância e constranger o mineiro.

E, no curto prazo, alugar casas é a única alternativa da BWA, que não construiu o estádio, diga-se de passagem. Está somente apagando incêndio provocado por gente de capacidade questionável.

Até uma criança sabe que bilheteria tem de ser, em qualquer casa de eventos, o local de acesso mais fácil e fluente. Não é nenhum segredo de logística.

Mas os engenheiros que reformaram o Independência não sabiam, pasmem os senhores! E por causa disso, tome mais atrasos na entrega, pois esse negócio de vender ingressos em casas vizinhas não vai vingar e vão ter de corrigir o problema com mais obras, de forma a facilitar o acesso às bilheterias. E, pelo que temos assistido, quanto tempo mais será empregado nisso?

Não se esqueçam que, só para PENSAR a solução dos gradis do Espaço Ray Charles, foram concedidos 120 DIAS! Só para avaliar! É o fim do mundo um trem desses!

Penso com meus botões: será que vem por aí alguma coisa pior que essa?

Porque do jeito que as coisas caminham, não duvido de que, daqui a pouco, alguém descobre que os vestiários foram construídos em cima da linha do trem que passa ali perto!!!

Quem quer apostar que algo de vexamoso ainda irá surgir? As suas previsões, por favor!

CRÉDITO: O furo de reportagem veiculado pelo jornal O Tempo é de autoria do jornalista Felipe Ribeiro. Para seguí-lo no twitter clique aqui.

Siga este blogueiro no twitter clicando aqui