Arquivo da tag: cruzeirense

CORPO E ALMA ALVINEGROS.

Vou dizer quem sou : Sou a Fernanda, alvinegra de corpo e alma!

Para que vocês entendam melhor a minha história, vou explicar desde o início.

Meu pai é cruzeirense. Minhas irmãs dizem que também são, mas elas não contam muito pois só conhecem o nome do atual goleiro do time azul…

Eu e meu pai sempre fomos muito unidos e era perfeitamente natural que eu torcesse pelo mesmo clube que ele torce. Mas não foi bem assim…

Não me lembro exatamente quando me tornei atleticana. Na verdade eu não escolhi. O CAM me escolheu.

Lembro-me de que, pequena ainda, passeando de mãos dadas com meu pai, eu andava distraída olhando as vitrinas das lojas.

A mágica aconteceu quando vi de longe um rapaz com a camisa do Galo. Claro, naquele momento eu nem sabia do CAM, mas fiquei fascinada.

Perguntei ao meu pai que camisa era aquela. Ele me explicou que pertencia ao Clube Atlético Mineiro. Naquele momento, embora sem dar-me conta, meu coração se tornara alvinegro.

Fui crescendo, e de uma maneira muito tímida, me interessei cada vez mais por futebol e pelo Galo. Por não querer magoar meu pai, guardava dentro de mim este amor crescente pelo meu time.

E lá pelos quinze anos não pude mais esconder a minha escolha. Meu pai soube, mas mesmo divididos pelo futebol continuamos a conversar e trocar idéias sobre os nossos times.

A primeira ida ao Mineirão foi tardia. Aconteceu em 1999 (Atlético 3x 2 Corinthians).

Foi fascinante. O Mineirão tremia. A bandeira do Galo subia e descia. Lágrimas rolaram pelo meu rosto. Que espetáculo era aquele?

Então, a cada dia, meu coração já não negava mais: Eu era orgulhosamente atleticana!

Este fascínio que o Galo exerceu e exerce sobre minha vida e meu coração é algo que vai além de títulos.

Fazer parte desta torcida que apóia e torce incondicionalmente é uma grande honra. Somos fiéis ao nosso Atlético sempre. E para sempre!

Ganhando ou perdendo, o Galo arrasta multidões inflamadas que, com o coração como o meu, ama, torce, chora e canta pelo clube.

Derrotas não importam. Sabem por quê? Porque são elas que motivam nossos corações alvinegros a seguirmos em frente e, ao enfrentar os que nos venceram, derrotá-los.

Então, esta sou eu. Este é meu time.

GALO, minha vida e meu primeiro grande amor!

PARA SEGUIR A AUTORA DO TEXTO NO TWITTER, CLIQUE >>> @fefemenezes

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> robertoclfilho

Anúncios