Arquivo da tag: força mental

AMÉRICA 1 X 1 ATLÉTICO – FINALMENTE, GUILHERME CHEGOU.

Com 3 zagueiros e Guilherme armando no meio, até que o Atlético não jogou tão mal assim.

Quando a coisa apertava, entregava-se a bola para Guilherme, que arredondava-a e mostrava ao público que no gramado ainda pulsava vida inteligente.

O camisa 10 do Galo foi, disparado, o melhor em campo. Combateu, distribuiu, foi incisivo em lançamentos agudos e se não chutou a gol foi porque não teve chance.

Com André suspenso para o próximo jogo, o meu temor é que Cuca adiante Guilherme para jogar isolado dentro da área. Fazendo isso, perderá a cabeça pensante no meio e, ao mesmo tempo, não terá quem construa jogadas para que ele arremate.

O Atlético não possui poder de fogo no ataque, essa é que é a verdade. Bernard voltou mal da contusão, André não dá prosseguimento às jogadas e os laterais/alas, que deveriam apoiar e criar opções, não o fazem.

Apesar de seus defeitos visíveis, o Galo foi superior ao América na partida de hoje. No primeiro tempo, o time alviverde quase não jogou. No segundo tempo, o Galo tanto  martelou que acabou achando um gol em jogada de escanteio.

E aí, como sempre acontece, a equipe se encolhe e leva pressão, por pior que seja o adversário. E, num córner que não existiu, já nos descontos, o América empatou através de um atacante em clara posição de impedimento.

Azar? No meu entendimento, pura incompetência de um time que se encontra com a auto-estima baixa e não confia em si mesmo.

Estivesse em condição psicológica elevada, teria partido para cima do Coelho para fazer o segundo. E mataria as finais no primeiro jogo. Lembro-me que aconteceu o mesmo quando vencia o cruzeiro por 2 a 0 e permitiu o empate.

O Atlético é um time que não sabe jogar com o placar favorável. Deixa-se pressionar muito facilmente, como se temesse sair para o jogo e tomar a virada. O pior é que isso acaba acontecendo como se fosse uma punição dos céus.

As suas limitações técnicas são tão flagrantes que os próprios jogadores sabem disso. É um fator que deveria ser corrigido pela comissão técnica, porém, nada é feito nesse sentido.

Eu já vi times extremamente limitados se manterem, na base da força mental, no alto da tabela do campeonato brasileiro. Já aconteceu com o Atlético em outras ocasiões e o último exemplo foi o Coritiba em 2011.

Enfim, foi um empate que, a bem da verdade, é mais favorável ao Galo do que ao América.

Vamos aguardar o segundo jogo e, muito provavelmente, levantaremos a taça de um campeonato que não vale absolutamente nada.

SIGA ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER clicando aqui

 

 

MENTE E CORAÇÃO

O que faz um cabeça de bagre se tornar um jogador de seleção brasileira?

O que faz um time desequilibrado, irregular em seus setores, com um ataque fraco e inoperante, se tornar vencedor?

Para as duas perguntas, uma só resposta: MENTE E CORAÇÃO!

Para os dois casos, conhecemos inúmeros exemplos de atletas que se superaram na base da concentração férrea da mente e do suporte vigoroso do coração.

Se a equipe do Atlético, por conta de suas limitações técnicas, não encontrar liga para impor um jogo envolvente em todas as suas linhas, que busque forças na vontade e na raça de vencer adversários mais fortes.

Mais fortes só porque baseados nos números da campanha. Só por isso. Nenhum passado é capaz de atropelar o presente se estivermos empenhados na medida certa para mudar a história, para transformar o lógico em ilógico.

Porque a história é feita jogo a jogo, dia a dia. Porque o que se faz mal hoje, pode-se corrigir amanhã, e, às vezes, até  atingindo a perfeição. Se absorvermos o verdadeiro espírito da reação, podemos vencer o invencível, destruir o indestrutível!

Somos humanos e como humanos temos potencial diferente a cada dia que passa, ao sabor dos acontecimentos que nos afetam.

Você, que se considera um grande executivo, com capacidade mais que provada de fazer crescer a empresa com criatividade e dinamismo, pode me dizer em sã consciência que, se a sua mulher (que você ama muito) quer o divórcio ou tem um amante, terá o mesmo rendimento profissional?

Claro que qualquer um, em determinado momento, fraquejará. Mas se estiver absolutamente focado naquilo que anseia, nada o fará tropeçar. MENTE E CORAÇÃO forjados a ferro e fogo no amargo sofrimento que enriquece o indivíduo e faz dele uma pessoa melhor.

É baseado nessa concepção que peço: caros jogadores do Galo, não se deixem abater pelas derrotas que até aqui colocaram o Clube Atlético Mineiro numa posição de alto risco. Esqueçam as merdas feitas. Já não é tempo de valorizá-las.

Tenham a certeza. Se unirem, como irmãos siameses, o raciocínio calmo e tático com a emoção agressiva de um predador, o nosso Galo sairá incólume dessa situação.

Não desistam!

Siga este blogueiro no twitter clicando aqui