Arquivo da tag: Mendez

ATLÉTICO 1 X 0 GRÊMIO PRUDENTE. OS 3 PONTOS TAMBÉM VALEM JOGANDO MAL.

Se o Galo venceu e obteve os 3 pontos, pouco me importa se jogou bem ou mal…

Mas…

… devo reconhecer que jogando mal desta forma, a confiança que a torcida tem em uma recuperação segura e firme vai pras cucuias.

Porque nós podemos até gostar de uma vitória mesmo não jogando bulhufas. Afinal, se somam 3 pontos e, a cada resultado positivo, o risco de rebaixamento se torna mais longíquo.

Porém, é duro constatar que os 8 meses de trabalho do sr. Vanderlei Luxemburgo no Galo só serviram para piorar a equipe.

E não foi só piorar, não senhor!

Ao detonar o elenco antigo, em pleno campeonato, sem nenhum planejamento responsável, o “mestre dos mestres” conseguiu pulverizar qualquer resquício de esquema tático que porventura existia.

Pois ele foi incapaz de criar um esquema inteligente que superasse o antigo.

E o resultado que vemos hoje é um rol de jogadores bons, alguns deles de alto gabarito, nos dando a impressão de nunca terem jogado juntos.

E não são 8 dias! São 8 MESES!

De muito trabalho? Talvez. Até acredito. Mas será mesmo um trabalho bem feito e eficaz?

Confesso que sou cético quanto a isso pelo simples fato de que, se esse trabalho  fosse produtivo, algo de bom já teria sido demonstrado.

Hoje a equipe jogou um razoável primeiro tempo, embora não tenha sido incisiva dentro da área, aonde as coisas acontecem.

A bem da verdade, apesar do ilusório domínio, só tivemos uma chance real de gol nesse período.

Os comentaristas do L&N não acham pouco demais para um time tão badalado, jogando em seus domínios contra o Grêmio Prudente (que por mais que mereça o nosso respeito) é uma equipe pequena e inexpressiva?

Pois bem, as esperanças de uma melhora acentuada se concentraram no segundo tempo.

E o que aconteceu? Por falta de pernas, o time simplesmente morreu em campo! Durma-se com um barulho desses!

8 meses treinando, 8 meses se preparando fisicamente, 8 meses de “muito trabalho” para um segundo tempo ridículo contra o Grêmio Prudente, simplesmente porque o nosso time só aguenta correr 45 minutos!

Onde está a tão famosa preparação física do Galo? Cadê o Mello, de quem se dizem maravilhas, apesar de sua aterrorizante e traumatizante caixa de areia?

Não fosse a clarividência de Ricardinho _ ao achar Obina bem posicionado na área aos 41 minutos da segunda etapa _ estaríamos, mais uma vez ,  deitando a cabeça inchada no travesseiro.

Depois desta partida, eu pergunto a vocês (e por favor, me respondam de forma sincera): qual o grau de confiança que este time nos passa?

E hoje eu tive uma certeza que, paradoxalmente, me assusta ainda mais: os jogadores lutam muito em campo!!!

E se lutam muito, aonde está aquele propagado complô contra o treinador sugerido sutilmente por ele mesmo?

Não existe complô porra nenhuma, minhas amigas e meus amigos. A incapacidade de fazer essa equipe jogar está no próprio treinador, que não consegue transformar em realidade a sua verborragia infindável.

E aí, para encobrir a sua incompetência,  começa a procurar chifres em cabeça de cavalo!

Custo a crer que estou aqui descendo a lenha em um treinador que, bem ou mal, acabou de obter 3 pontos para a nossa sacolinha.

Mas o que está me apavorando verdadeiramente são os próximos compromissos, principalmente os fora de casa.

Pois a continuar com Fabiano no lugar de Mendez, a manter o louco Diego Macedo na lateral direita, a permanecer não se importando com a marcação no meio de campo, a persistir colocando Berola na reserva… ah, amigos, a nossa dor de cabeça só aumentará.

Eu, tanto quanto vocês, esperava muito mais. Muito mais.

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> robertoclfilho

Anúncios

VASCO 1 X 1 ATLÉTICO.

Um empate catastrófico contra um time ruim desfalcado de seus principais jogadores, Carlos Alberto, Felipe e Zé Roberto.

Em outra situação, até que não seria um mau negócio, porém, devido às circunstâncias, foi um péssimo resultado.

Pois o Galo ainda permanece na zona de rebaixamento, somando apenas um raquítico ponto à sua vexatória campanha.

Vanderlei Luxemburgo optou pelo 3-5-2 sem tê-lo treinado. Treinou o 4-4-2.

Mas, como aconteceu muitas vezes nesse campeonato, entrou em campo com um time improvisado de última hora sem nenhum sentido de conjunto e foi, como deveria ser,  castigado por sua insensatez.

Sem meio de campo, sem meia de ligação, sem troca de passes, o Galo foi, no primeiro tempo, uma caricatura de equipe.

As bolas passavam pelo meio há 20 metros de altura. Jogadas trabalhadas, triangulações, 2-1, tabelas… ah, meu amigo, isso não existiu nem a quilômetros de distância.

Aliás, não houve, na primeira etapa, nada que desse ao atleticano a esperança de um destino melhor.

Por incrível que pareça, a defesa se comportou muito bem, apesar do gol que levou. Pois era para ter levado mais, uma vez que o Vasco dominava todas as ações no meio de campo e conquistava a grande maioria dos rebotes.

Com um time sem qualidade, o Vasco conseguiu superar o Atlético de grandes nomes, mas que jogava como um time de várzea.

No segundo tempo, o Galo melhorou substancialmente. As entradas de Ricardinho, Mendez e Berola deram novo ritmo ao maior de Minas.

A bola ficou mais redonda, as jogadas rápidas se sucederam  e o Vasco se retraiu.

Mas não vou creditar a mudança à “genialidade” de Vanderlei Luxemburgo.

Afinal, TODOS os atleticanos clamavam  por esta formação antes de começar o jogo, mesmo sem ganhar os milhões que o propalado treinador ganha.

E numa jogada de Daniel Carvalho, que jogou muito bem, o juiz marcou um penalti indiscutível.

Empatamos um jogo que poderíamos ter vencido, não fosse a escalação equivocada do primeiro tempo.

A entrada de Mendez também foi promissora. Gostei do equatoriano hoje. Está retomando a forma e correndo muito mais. Ele tem uma vantagem, como volante, que outros não têm.

Lança como poucos e não é previsível, com aquelas jogadinhas ridículas de encostar a bola para os lados.

Mendez tem a virtude de escolher a jogada mais difícil e na maioria das vezes, acerta. Pelo menos, foi assim hoje.

Esquecer Ricardinho num banco de reservas é um crime imperdoável. Em países de primeiro mundo, o cara que assim procede encerraria seus dias numa cadeia de alta segurança, com direito a 2 horas de sol por dia.

Não que Ricardinho seja o supra sumo da “craqueza”. Mas sim porque, do jeito que o time está tão quadrado, não tem ninguém melhor do que ele para arredondá-lo.

E Berola erra passes, se enrola com a bola, não levanta a cabeça, porém sou muito mais ele do que qualquer outro no ataque.

Isto porque ele não desiste. Parte pra cima do zagueiro e não quer nem saber se o cara é filho de mamãe ou de papai, se é rico ou se é pobre.

Berola é a exata personificação do atrevimento, um adorável mal educado que desconhece a palavra “respeito”. Ele quer mais é provocar confusão na área adversária, independente das pancadas que leva.

Se eu fosse Luxemburgo, não abriria mão de seus serviços nem por decreto.

Mas Luxemburgo é intocável, é onipresente, infalível e acima de qualquer suspeita.

E por isso, temos de conviver com as suas invenções, com as suas escalações estapafúrdias.

Como hoje.

Não teria sido muito mais produtivo ter escalado o time do segundo tempo no primeiro tempo, para arrebentar o Vasco desde os instantes iniciais?

Será que foi pelo simples “prazer” masoquista de sofrer 45 minutos?

Para nós, atleticanos, foi como se fossem 45 anos! Amargos 45 anos!

No entanto, lembre-se, Vanderlei Luxemburgo, nós NÃO perdoamos aqueles que nos têm ofendido!

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> robertoclfilho

E O DM VAI FICANDO VAZIO…

Pouco a pouco, o Departamento Médico do Galo vai esvaziando.

Daniel Carvalho já foi liberado para recondicionamento físico, embora ainda não esteja à disposição do técnico. Se estiver entre os relacionados contra o São Paulo, será uma agradável surpresa.

Não sei qual a opinião de vocês a respeito, mas eu entendo que o gaúcho foi um dos que mais fizeram falta à equipe.

É extremamente técnico e inteligente. Seus lançamentos são milimétricos.

Tomara que não se lesione mais e possa encarar o restante o Brasileiro sem percalços.

Zé Luis também já está treinando, porém, à parte do grupo. O primeiro volante faz falta principalmente por causa das más atuações de Serginho e da pouca combatividade do meio de campo.

Leandro foi liberado e treina junto ao grupo. Talvez seja hoje o 2º reserva. À sua frente, na minha modesta opinião, encontram-se Fernandinho (que ainda está em tratamento) e Eron.

Jairo Campos treinou hoje. Mas ainda está sob observação.

Mendez teve uma semana só pra recuperação física, embora ainda não seja o Mendez bem preparado da LDU. Mas, se não jogar, não se recuperará técnicamente. Por ser um jogador diferenciado, vale a pena investir e Vanderlei Luxemburgo sabe disso.

Fernandinho: Permanece firme e forte no DM.

Torço para que os jogadores citados recuperem, o mais urgente possível, a plenitude de suas condições físicas.

Porque com eles, as nossas metas ficarão muito mais factíveis.

Obs: Agradecimentos ao Bira Marinho, jornalista atleticano, e ao Aender, autor do blog Galo é Meu Amor, ambos amigos diletos, por me munirem de informações a respeito da turma recém-saída do DM.

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> robertoclfilho

FLAMENGO 0 X 0 ATLÉTICO.

Rever foi perfeito do princípio ao fim e descobrimos que, finalmente, temos um excelente goleiro.

Tanto Réver quanto Fábio Costa consertaram o que tinham de consertar.

Se antes as bolas difíceis de defender entravam, hoje não entram mais.

Se antes aquelas bolas sobravam para os atacantes adversários, hoje sobram para Réver, absoluto no meio da zaga.

Eron deu mais sangue que todos os renomados homens “biônicos” de 6 milhões de dólares. O menino tem personalidade e num determinado momento, abriu os braços reclamando da passividade do time.

Gostei de sua bravura, de sua braveza e de sua personalidade. Tem futuro.

Só não gostei de sua substituição, mas entendo que pode ter sido por cansaço. Afinal, o ritmo do junior é mais maneiro que o profissional.

Lima saiu de campo contundido na cabeça e Cáceres entrou lento e sem encontrar o seu posicionamento. Mas melhorou muito no segundo tempo.

Jataí continua não decepcionando e permanece rápido no combate. O seu jogo é de um Zé Luis mais novo.

Serginho tem de melhorar muito em relação ao Serginho de tempos atrás.

Ricardinho se esforça e temos de reconhecer que, com mais de 30 anos, corre mais que muitos novinhos. Pelo menos não foge da responsabilidade, ao contrário de muitos.

Diego Souza está assistindo aos jogos em cadeira vip. Fez duas jogadas importantes no jogo todo. Convenhamos, é muito pouco para quem foi recebido com tanta festa e tanta esperança.

No meu entender, deveria ter sido substituído por Berola ainda no primeiro tempo, coisa que não aconteceu nem na segunda etapa, inexplicavelmente.

Tardelli foi um dos piores em campo, como também o foi em outras partidas. Não sei o que se passa com o artilheiro de 2009. Parece que se deu, à revelia de todo mundo,  um período de férias.

Tardelli não divide, não dá combate quando perde a bola (o que é constante), não contribui com a equipe em nenhum momento. E ainda é capitão! Piada sem graça!

O gol que perdeu, cara a cara com o goleiro do Flamengo, poderia ter trazido 3 pontos para a nossa sacolinha. Mas não trouxe, porque errou bizonhamente.

Enfim, o Galo jogou mal no primeiro tempo. Errava muitos passes e não conseguia concatenar jogadas de ataque, apesar de as melhores chances terem sido nesta etapa.

Esperava o Flamengo em seu campo e só não foi vazado porque o time carioca é, neste ano, muito limitado.

Os espaços no meio de campo continuam sendo o nosso maior problema.

No segundo tempo, melhorou. Mendez entrou e passou a combater com muita vontade, além de se projetar para o ataque. Esse cara ainda vai nos dar muitas alegrias, anotem o que falo.

O Galo se acertou um pouco mais.  Adiantou a marcação, pressionou o Flamengo, dominou as ações no meio de campo e só não ganhou o jogo por conta da falta de pontaria de nossos jogadores.

Aliás, as melhores oportunidades de gol foram de jogadores de meio de campo e não dos atacantes.

Gostei dessa alternativa. Algo novo no esquema do Luxemburgo. Os volantes se adiantam em trocas rápidas de passes e pegam de surpresa a defesa adversária.

Tanto que Jataí e Serginho, em momentos diferentes, estiveram na cara do goleiro flamenguista.

No meu ponto de vista, não há que se desesperar. As vitórias estão difíceis de acontecer, é verdade. Mas virão, tenham a certeza disso.

Apesar das burrices e das invenções!

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> @robertoclfilho

O GALO EM EBULIÇÃO!

A Copa do Mundo acabou, a Espanha venceu, o polvo Paul acertou e o mundo tremeu… (perdoem-me essa rima forçada, mas não encontrei nada melhor… rsrs).

E agora, José?

Para onde nós vamos agora, meu amigo? Aonde vamos descarregar a nossa paixão infinita e alucinada?

Aonde vamos extravasar a saudade da camisa preta e branca adorada?

Vibrando e chorando de alegria nas ruas das cidades de Minas ou ferozes e introspectivos na penumbra de nossos quartos?

O Brasileirão recomeça e com ele todas as armadilhas são montadas na calada da noite e nas moitas espinhosas e sombreadas do nosso caminho.

Resta-nos a perspicácia de escolher a melhor rota, aquela que nos levará ao topo nos esquivando de todas as tocaias. Resta-nos contratar com sabedoria, dispensar com consciência e construir o elenco mais fenomenal dos últimos anos.

E nesse aspecto, o Galo está em ebulição! Ou não seria apropriado dizê-lo mesmo com a contratação de Diego Souza, considerado pela mídia o melhor jogador do Brasil em 2009?

Ou não seria adequado dizer que Mendez é um excepcional segundo ou terceiro volante, tido como um dos melhores da América?

Ou será que alguém ainda duvida da categoria do Daniel Carvalho mesmo depois de vê-lo mais magro e mais ágil?

E não nos esqueçamos dos retornos de Obina e Serginho, que são peças de peso em qualquer equipe.

Sugiro também não ignorar a contratação de Fernandinho, um bom lateral esquerdo, e a de Fábio Costa para a carência escandalosa que, nos últimos anos, tivemos em nosso gol.

Estes são, entre outros, os nossos reforços. Bons reforços, não há dúvida. Se formos absolutamente sinceros, são jogadores de um nível que há muito tempo não tínhamos em nosso plantel.

As nossas metas e ambições, depois de Alexandre Kalil, mudaram da água para o vinho.

Enquanto que com Ziza (e outros) contávamos com as migalhas esquecidas pelos outros clubes  (as porcarias que ninguém quis), com Kalil nós contratamos o melhor jogador brasileiro de 2009 e outros grandes atletas!

Mas há de se ter na cabeça o seguinte: até a 12ª rodada, ainda vamos comer o pão que o diabo amassou, pois o time ainda estará em formação, além de não podermos contar com nomes importantes recentemente contratados.

Qual seria o nosso time ideal? Na minha opinião, seria: Fábio Costa, Rafael Cruz, Cáceres, Jairo CAMpos e Fernandinho; Zé Luiz, Serginho, Mendez e Diego Souza; Tardelli e Obina (ou Daniel Carvalho).

E qual o time que entrará em campo contra o Atlético-GO? Muito provavelmente será Fábio Costa, Diego Macedo, Werley, Jairo CAMpos e Junior; Zé Luiz, Serginho, João Pedro e Fabiano (Ricardinho); Tardelli e Ricardo Bueno.

A diferença de categoria é simplesmente absurda. Portanto, ainda vamos penar durante algum tempo, tenham certeza disso.

Embora eu tenha a desconfiança de que permaneceremos na zona de rebaixamento por mais algumas poucas rodadas, não há que se desesperar. No momento em que o time ideal estiver dentro de campo, encaixado e coeso, ninguém nos segurará! Nem com tiro de canhão!

E aí, meus caros amigos, todas as tocaias e todas as armadilhas serão desativadas antes que nos façam mal. Além do que, o Galo está se movimentando para reforçar ainda mais o elenco.

Nomes fortes estão em pauta. Jogadores consistentes estão na mira. Mas não entrarei no campo das especulações traiçoeiras, pois não pretendo criar falsas ilusões de contratações mirabolantes.

Não há o que temer depois de algumas rodadas.

Aposto muito mais que estaremos nas ruas comemorando do que na penumbra de nossos quartos!

Mas não agora, no princípio. Esperemos um pouco mais, pois um pouco de paciência sempre faz bem ao organismo.

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE >>> @robertoclfilho

EDSON VICENTE MENDEZ, O NOVO CAMISA 8 DO GALO.

Enganam-se aqueles que pensam que o Galo contratou o tão sonhado camisa 10. Isso não aconteceu.

Mendez é um camisa 8 ofensivo que volta para combater no meio e sai jogando rápido em passes curtos ou de média distância.

Não é um jogador de lançamentos em profundidade ou de enfiadas de bolas para os atacantes. Pode até fazê-lo, mas não é a sua principal característica.

Bate faltas muito bem e tem um chute poderoso e certeiro. Já vi vários de seus gols pegando forte de fora da área.

Sua principal virtude é estar em vários lugares do campo em uma partida, de forma incansável.

Já o vi cobrir as laterais, partir para o ataque e concluir a gol segundos depois.

Tem categoria de sobra para vir a ser um dos principais jogadores do Galo. Não tem medo de cara feia, disputa todas as bolas com vontade e se apresenta sem receio na área adversária para finalizar.

Na minha opinião, foi uma das melhores contratações do Galo este ano, principalmente, pela vibração e pela dinâmica que impõe ao meio de campo.

Mendez joga em direção ao gol o tempo inteiro de forma objetiva e prática, sem pentear a bola desnecessariamente.

Ricardinho que se cuide, embora eu entenda que podem perfeitamente jogar juntos.

O equatoriano chega em 04 de julho deste ano para disputar o campeonato brasileiro, uma vez que tem contrato em vigor com a LDU até final de junho.

Bienvenido, campeon. Nestas alturas, Jairo CAMpos já deve ter lhe transmitido os valores que a torcida alvinegra aplaude por aqui.

O manto sagrado lhe cairá muito bem, tenho certeza.

PARA SEGUIR ESTE BLOGUEIRO NO TWITTER, CLIQUE NO GALO À DIREITA DA PÁGINA.